22º
33º
Pancadas de Chuva

Legislativo barreirense, parceria ou submissão?

  • Jayme Modesto Jornalista

     

    O Legislativo é um dos três poderes presentes no Estado Democrático de Direito. Segundo o grande pensador Montesquieu ele que foi político, filósofo e escritor francês, os três poderes – executivo, legislativo e judiciário devem ser independentes uns dos outros, mas ao mesmo tempo, devem ter o poder de se regular e fiscalizar quando necessário. É nesse contexto que analisamos porque a Câmara municipal é tão importante dentro da politica dos municípios.

    Ao completar 10 meses de gestão, o ano de 2017 tem se caracterizado por mudanças substanciais em Barreiras. Com a consciência do seu papel na elaboração e aprovação de leis e com dever primordial na fiscalização e no acompanhamento das ações voltadas aos interesses coletivos, o Legislativo Barreirense tem tido uma atuação efetiva e responsável neste novo contexto.

    Neste período, os parlamentares tem sido os mediadores entre a população e o executivo municipal. Dessa forma, tem ficado evidente que o trabalho dos 19 vereadores tem sido fundamental na busca do melhor para o desenvolvimento de Barreiras, contribuindo assim, no funcionamento da administração pública municipal e no crescimento ordenado do nosso município nestes 10 meses.

    Esse trabalho de parceria e aproximação do legislativo com executivo tem alcançado resultados relevantes e positivos na melhoria da infraestrutura e, no desenvolvimento tão almejado pela nossa sociedade, é a reafirmação de uma união de forças em prol do bem comum, comportamento antagônico ao daqueles que os rotulam de submissos.

    Os vereadores tem sido os responsáveis por estimular a população para que participe dessa transformação e das decisões políticas e administrativas da nossa São João das Barreiras. E nesse sentido, os vereadores barreirenses têm cumprido o exercício de mediador e aprimorando ainda mais a relação entre o Legislativo e o Executivo, o que incontestavelmente vem dando certo, Barreiras precisava desse choque de gestão.

    É visível que com essa integração de forças, nestes primeiros meses já estamos conseguindo vislumbrar uma nova cidade e um ambiente mais digno de se viver. É evidente que há críticas e também quem discorda, mas isso faz parte do processo político.

    Também é notório que em muitas áreas da administração municipal, ainda carece de atenção, mas é compreensível que tenhamos bom senso para entendermos que o projeto do governo municipal é de curto, médio e longo prazo e vem cumprido o seu cronograma de execução. É com esse sentimento de que as mudanças estão sendo efetivadas, que a gestão municipal vem sendo pontuada pela população como boa e ótima.

    O poder executivo e legislativo barreirense vem trabalhando com uma bandeira comum, para a conquista de uma Barreiras, que efetivamente venha representar a capital do oeste como uma nova cidade. Esse tem sido o objetivo fundamental na mobilização da sociedade e na concretização das ações da nova gestão municipal.

    Esse papel consoante com os interesses da sociedade representado pelos 19 vereadores, nestes 10 meses, vem demonstrando uma nova forma de fazer política, que podemos considerar “política de resultado”, uma verdadeira democratização da Câmara Municipal com vereadores atuantes, tanto na tribuna como na comunidade.

    É claro que na figura do prefeito como chefe do executivo municipal, está apenas um agente público, que na hora das decisões mais importantes da vida da cidade, necessariamente o legislativo tem que ser ouvido, já que os vereadores são os legítimos representantes da sociedade em nível de município e estão verdadeiramente comprometidos com o desenvolvimento de Barreiras, tanto na resolução de problemas como na busca por recursos e novos investimentos.

    Essa parceria harmoniosa entre o legislativo e o executivo barreirense vem produzindo um resultado bastante positivo, o que de certa forma fortalece a câmara municipal como poder independente e articulado com os demais poderes, uma atuação democrática com a diversidade de ideias.

    Fim do tempo em que a Câmara de Vereadores servia apenas para aprovar projetos do executivo. Hoje, mesmo com a base aliada composta pela maioria dos vereadores, todas as ações executadas pelo município são discutidas com o legislativo. A oposição na câmara que hoje é minoria, também tem cumprido o seu papel como oposição, o que é salutar para o processo democrático.


    • Compartilhe:

    Comentários: