Entrega da Comenda João Montalvão e Pegada do Mastro marcam início dos festejos de setembro em São Desidério

  •  

    Texto: Ana Lúcia Souza

    Fotos: Lucas Ribeiro

    As comemorações da Pegada do Mastro, que este ano celebra 102 anos de tradição em São Desidério, tiveram início na noite de sexta-feira, 31 de agosto na Lavanderia Cultural com a entrega da Comenda João Montalvão e distribuição das camisas aos participantes. Na manhã de sábado, 1º de setembro, foi a vez de homens e mulheres participarem de mais uma edição da Pegada do Mastro.

    Realizada pelos organizadores dos festejos da Padroeira Nossa Senhora Aparecida celebrada dia 19, e do Divino Espírito Santo, 20, o evento ganhou dimensão ao longo dos anos e apoio da Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.

    Comenda – Na entrega da Comenda, que recebeu o nome de João Montalvão em homenagem a um dos precursores da tradição no município, foram prestigiados dez participantes da tradição que receberam o título de “Pegador do Mastro”, sendo lembrados: Di dos Carvalhos, Zé Moreira, Josemar, Durval, Thiago Kruschewsky, Tõe da Dora, Gama, Izaias – o participante mais idoso, Chico – neto de João Montalvão e Inacira, a primeira mulher participante.

    “Sempre é bom participar da Pegada do Mastro. É uma das melhores festas que existem em São Desidério. Estou com 78 anos e todo ano gosto de participar. Eu gostei da homenagem que recebi e fiquei muito grato por lembrarem de mim”, afirmou o participante Izaías Dias dos Santos.

    Na 102ª edição da Pegada do Mastro, os foliões se dirigiram para a localidade de Cabeceira da Mamona, um percurso de cerca de 06 km da sede, que recebeu sinalização. Também foram realizadas homenagens póstumas a alguns capitães do mastro, pessoas que contribuíram para preservar a tradição no município. Nesta edição foram lembrados os capitães: Nego Mário, Calixto, Cideira, Valmir do Neguim e Muruca.

    “Quero agradecer a homenagem a meu pai, que era bem conhecido na cidade e fazia questão de participar das tradições culturais. Ele sempre me falava como era bom o seu tempo de infância e adolescência em que todos se reuniam para a Pegada do Mastro. E hoje, ele está sendo lembrado nessa festa me deixa muito feliz”, relatou Tulio Fleury, filho do saudoso Nego Mário.

    Rodas de samba, formadas ao som de tambores e instrumentos rústicos deram o tom da festa na Cabeceira da Mamona, e no fim da tarde a chegada do cortejo à cidade foi aguardada por muitas pessoas.

    “A comunidade abraçou essa festa por ser a principal referência das festividades de São Desidério. Em especial o mês de setembro, visto que essas celebrações são alusivas ao Divino Espírito Santo e Nossa Senhora Aparecida. Se a Espanha tem a Caminhada de Santiago de Compostela, o Brasil tem a Romaria de Nossa Senhora Aparecida, São Desidério tem a Pegada do Mastro”, declarou o participante e pegador do mastro, Ataíde Cordeiro.

    Pegada do Mastro – Em Cabeceira da Mamona, no primeiro sábado de agosto são retiradas duas árvores com cerca de 15 metros de comprimento cada, e reservadas neste local. Um mês depois, no primeiro sábado de setembro, as árvores são trazidas pelos foliões até a cidade. Em frente à Igreja Matriz os mastros são hasteados durante os festejos religiosos da cidade e recebem as bandeiras da Padroeira do município e do Divino Espírito Santo.


    • Compartilhe:

    Comentários: