A Embasa é mais uma vez, pauta da nossa página

O crônico problema da falta de água em Brejolândia, população mais uma vez pede socorro apelando para a imprensa

 

Jornalista Jayme Modesto

Jayme Modesto

O descaso da Embasa com a população de Brejolândia já virou rotina e as pessoas não sabem mais a quem recorrer. A situação é tão grave que a prefeitura está sendo forçada a investir na perfuração de poços artesianos nas escolas para garantir o funcionamento e o atendimento a população estudantil e fugir do altíssimo e desproporcional valor cobrado pela Embasa em suas contas.

Um absurdo e falta de respeito ao cidadão em seus direitos básicos, promovido pela EMBASA, que permite uma falha grave no abastecimento de água no município, onde moradores sofrem com a irregularidade do fornecimento desde 2007 quando foi implantado o sistema.

A peregrinação em busca de água, reclamações formais e até a revolta dos cidadãos, que indignados buscam forma de regularização desse serviço que é fator primordial de sobrevivência, não parece ser problema para DONA EMBASA, que trata o povo com desrespeito e descaso. E aí vem a explicação, o porquê de encabeçar a lista como campeã de reclamações no Estado.

Nossa reportagem a muito tempo vem acompanhando essa situação em Brejolândia, inclusive presenciando em loco, colhendo depoimentos e informações que comprovam a gravidade da situação.

Não ter água para a população é um crime contra os seus direitos: O acesso à água potável é um direito humano essencial, como declarou a Assembleia Geral da Organização das Nações em 2010.

A EMBASA trata do assunto como se fosse uma normalidade, tanto tempo sem uma gota na torneira, causa aflição para as donas de casa, para comerciantes e para todos da cidade. São inúmeras as reclamações da população, que sem o mínimo de satisfação sofre ao forte calor e procura desesperadamente uma saída para o problema na cidade.

O mais grave é que a autarquia teria que abastecer a cidade com água potável e de boa qualidade, bombeada do Rio Corrente, através do sistema implantado pelo governo do estado, em 2007. No entanto, segundo informações dos moradores, água doce na rede de abastecimento tem sido coisa rara.

Conforme relatos de populares, desde 2007 quando foi instalado o sistema, o problema tem sido recorrente, três dias tem água, outros não, muitas vezes ficam até cinco dias sem água, nem potável, nem calcária.

A população paga por um produto e recebe outro, isso quando recebe. O abastecimento de água em Brejolândia sempre foi problemático pela falta de compromisso da Embasa com uma boa prestação de serviço, o que sempre causou transtornos e problemas para os usuários que pagam caro pela água de origem duvidosa, é o que relatam os consumidores. Ainda segundo relatos de moradores, o consumo humano prolongado dessa água calcária tem causado graves problemas de saúde, principalmente para idosos e crianças. Se isso não bastasse, além de fornecer a água calcária, ao invés de água doce e tratada, a EMBASA, vem ultrajando a população com a cobrança exorbitante em suas contas, e o pior é que não tem a quem recorrer, é uma revolta generalizada da população com o descaso e o desrespeito da Embasa com os consumidores de Brejolândia.


Compartilhe:

Comentários: