Em um país nocauteado, o fracasso do governo é um sucesso!

Jaime (1)

Jornalista Jayme Modesto

Jayme Modesto

Não me calo, porque o silêncio é para os grandes. Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que os políticos sem caráter se envolvem em escândalos, então pensamos da mesma forma. Não falo como jornalista e sim como cidadão cumpridor de meus deveres.

Temos que reconhecer que na história recente desta pátria, a sociedade nunca presenciou tamanha desmoralização de uma classe que deveria dar exemplo. Quando se acreditou que uma esperança tinha vencido o medo, na ação penal 470 (mensalão), vimos que o cinismo tinha vencido aquela esperança. Agora com o (petrolão) parece que o escárnio venceu o cinismo.

Foi-se o mensalão de triste memória e agora, oficialmente, as cortinas se abrem para amplo conhecimento da nossa sociedade quem são os supostos picaretas envolvidos nestes velhos e novos megas escândalos, que deixam a sociedade estarrecida com tanto cinismo.

Ao todo, mais de 80 inquéritos abertos contra senadores, deputados federais e políticos sem cargos eletivos, como: ex-governador, ex-governadora, ex-ministro ex-dirigentes partidários, empresários, e ainda os tais de F. Baiano, J. Vaccari, sem contar com os já denunciados delatores P. R. Costa, Youssef, e uma penca de empreiteiros e fornecedores do governo federal que continuam presos ou em prisão domiciliar com tornozeleiras eletrônicas.  E o que mais causa indignação, é que são senhores maduros, de cabelos brancos, outros nem cabelos têm mais.

Quando um ex-presidente disse que no Congresso Nacional havia 300 picaretas, em tom de crítica, parecia que o líder político queria mudar a maneira de governar o país. Mas quando chegou sua vez de mostrar a que veio, comandou um governo que institucionalizou a corrupção para garantir apoio político, aperfeiçoando e aprofundando as técnicas que eram usadas naturalmente pelos velhos políticos brasileiros há décadas, mantendo a mesma safadeza de usar o mandato que lhes foi outorgado, para sugar o povo e denegrir a Nação Brasileira.

Lógico que o número de parlamentares de vários partidos envolvidos e beneficiados por este horroroso evento de desvios de recursos públicos é bem maior é só esperar para ver.

Não posso alimentar esperança em um país onde o termo “escândalo” nunca esteve tão banalizado como nos atuais tempos. Também não posso deixar de externar a minha profunda indignação e porque não dizer até descrença em um futuro promissor para as nossas futuras gerações.

O país está parado há mais de três anos, a única coisa que o governo tem feito neste período é administrar conflitos e escândalos de corrupção. É repugnante assistir uma sessão do Congresso Nacional e ver tanta desfaçatez. As barganhas, os acordos, as manobras. “Me ajuda que eu te ajudo. Me livra que eu te livro. Se você me entregar eu te entrego”.

É fato que a Polícia Federal e o Ministério Público, vêm fazendo um excelente trabalho, a exemplo do juiz Sérgio Moro, sendo ainda o que nos faz alimentar alguma esperança de ver esta tropilha toda trancafiado. O mesmo não se pode falar, do Poder Judiciário, que apesar de algumas ações razoáveis, ainda deixa muito a desejar, a exemplo do (Mensalão).

É triste dizer isso, mas o Brasil virou um país sem vergonha. Um país que se sujeitou ao comando de uma gangue formada por canalhas da pior estirpe possível. Um país que paga uma das maiores cargas tributárias do mundo e que se cala e se mantém inacreditavelmente passivo diante de tantas atrocidades e tamanho desrespeito à coisa pública. Por onde andam os Caras Pintadas, os Intelectuais, os Movimentos Sociais e os que sempre defenderam a bandeira da moralidade, transparência e ética na politica?

O Congresso Nacional é comandado por dois canalhas, tão nefastos quanto parecem, usam a teoria da comunicação com desenvoltura, espalham mentira, insistem nelas fazendo com que elas pareçam ter o mesmo peso da verdade, transformam tudo numa mera guerra de versões.

E aí uma parte da opinião pública passa a acreditar nas mentiras, porque a eles [os políticos], a verdade não lhes  interessa.

Tenho certeza que as pessoas honestas e de bem estão envergonhadas com esse lamaçal que já levou o Brasil ao nocaute. Um país, que tem tido um crescimento pífio, um país que vive uma de suas piores crises econômica e moral, está com sua imagem maculada. A honestidade está sendo uma raridade nesta nação de espertezas, onde a política é escola para ficar rico da noite paro dia, onde a miséria é inerente nesse país de riquezas, onde se pune a verdade e glorifica a mentira.

O que enobrece a maior parte dos nossos políticos é a esperteza, incentivando aos nossos jovens que roubar vale a pena. Honestidade neste país é sinal de pobreza, de quem não terá nada, de quem se apequena. Um país onde a esperteza nem pensa em ser sutil, onde a justiça é cega e tende a mascarar a verdade, onde o lixo vira comida nesse rico Brasil, pois a miséria e a fome atingem diretamente, os menos favorecidos. É preciso também esclarecer, que a rede política não envolve apenas os integrantes da base governista, mas também oposicionistas que pregam o fisiologismo e a demagogia.

Independente de qual é a sua posição política, é impossível não ter ouvido algo sobre a bagunça que tomou conta deste gigante chamado Brasil. Tenho vergonha de ver propagandas enganosas na televisão, mostrando uma mentira atrás da outras, maquiando a verdade, tentando vender uma imagem mentirosa, e saber que a maioria do povo acredita veementemente em tudo que ali é mostrado.

Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável. O governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Essa minoria, porém, diz, compor-se de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornaram governantes ou representantes do povo, cessará de ser operários e pôs a observar o mundo capitalista de cima do Estado, não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo. Quem duvida disso não conhece a natureza humana.

Não é raiva, é simplesmente indignação por ver tanta gente roubando e destruindo a vida do outro, e ainda se acham no direito de se fazerem perseguido pela elite e a imprensa… É muita gente precisando de uma dose de vergonha na cara.

 


Compartilhe:

Comentários: