Partidos e políticos se articulam para as eleições de 2020

  • Jayme Modesto.

    Faltando 11 meses para as eleições municipais de 2020, partidos e políticos já se articulam para alcançar o maior número de prefeitos por todo Brasil. Embora o cenário ainda possa mudar em alguns municípios, os nomes já foram lançados.

    A eleição no Brasil é um evento de grande importância para os brasileiros. É nesse período em que é possível escolher os políticos com as propostas e ideias, que gostaríamos que fossem implantadas para melhorar nossa cidade. Durante alguns meses candidatos que desejam ocupar algum cargo elegível fazem campanhas, apresentando projetos a serem implantados, caso sejam eleitos.

    O primeiro turno das eleições municipais acontecerá no mês de outubro de 2020 nos 5.568 municípios brasileiros. A cada quatro anos, surge o mesmo anúncio de empregos nos municípios brasileiros: há vagas para ajudar a construir o país.

    São mais de 65 mil vagas para prefeito e vereador em todo o Brasil e quase 550 mil candidatos, aproximadamente oito por vaga, o que sinaliza, que o emprego é concorrido.

    E o patrão é você! É quem paga o salário e arca com os possíveis prejuízos se não escolher bem o seu empregado. É aquela história exagerada de gente que promete um peixão e entrega uma piaba. Os pescadores da nossa rica região oeste da Bahia, conhecem muito bem essa história.

    Precisamos ter certeza na escolha de nossos representantes de município e podemos ter como exemplo as empresas. Funcionário não deu certo, você substitui.

    Dos 5.568 prefeitos eleitos há três anos vários não estão mais no cargo. A maioria foi cassada por improbidade administrativa ou infração à legislação eleitoral. E esse é sempre um processo conturbado, diante dos imbróglios jurídicos, com o entra e sai do acusado bagunçando a gestão e prejudicando o município e sua população.

    Para evitar esses possíveis descompassos nas gestões com o entra e sai de gestores sendo cassados é preciso escolher bem. As empresas de recrutamento de funcionários têm algumas dicas. A primeira é ver o currículo, além dos seus dados, a experiência e o conhecimento intelectual diz muito sobre o profissional. É preciso evitar o mesmo erro que muitos patrões cometem.

    O primeiro erro na contratação é tentar contratar alguém igual a gente. No mundo político é fácil traduzir isso tentando buscar alguém do mesmo sexo, da mesma cor de pele, da mesma orientação sexual ou da mesma religião que a gente. Esse é um erro e ele pode sair caro. Devemos levar em conta, apenas o que é importante para a realização do trabalho para o qual está contratando. Nesse caso, para o trabalho político que vai ser feito.

    O segundo passo é ver a folha corrida do candidato, se ele já esteve envolvido em corrupção ou se administra bem o dinheiro público. Um dos serviços que ajudam o eleitor é o site do Ministério Público Federal, que mostra como as verbas das prefeituras são administradas. Está aí a dica.


    • Compartilhe:

    Comentários: