Escolaridade dos pais afeta o desempenho dos filhos no Enem

  • Outro dado da análise também coloca a questão da inclusão social em cheque

    Às vezes, só a vontade não basta. Um cruzamento de dados inédito feito a partir de informações do Exame Nacional do Ensino Médio 2014 (o último divulgado) mostra que a escolaridade dos pais exerce grande influência sobre a nota final dos filhos.

    A análise foi feita pelo Enem Virtual – portal especializado em conteúdos para quem vai prestar a prova – em parceria com a Educa Insights. A pesquisa revela que quanto mais tempo os progenitores estudam, maiores as chances de os descendentes superarem a marca de 600 pontos no Enem.

    Segundo o levantamento, filhos de pais e mães que chegaram, no máximo, até o ensino fundamental, não atingiram nem 450 pontos em 52% dos casos – apenas 19% deles passaram dos 600 pontos. Por outro lado, nos lares onde os pais alcançaram o ensino superior, 48% dos estudantes tiraram mais de 600 pontos. Nesse caso, o número de jovens que ficou abaixo dos 450 pontos é muito baixo, 6%.

    “O resultado mostra que existe uma ‘herança’ no que se refere à formação educacional dos pais. É claro que há casos de jovens com pais menos escolarizados que superam essa barreira e se saem bem no Enem, mas infelizmente isso é a exceção, e não a regra”, diz Fernanda Lapidus Hecht, gestora do Enem Virtual. ”Da  mesma forma, quem vem de família mais estudada já nasce com meio caminho andado”, afirma.

    Outro dado da análise também coloca a questão da inclusão social em cheque. Entre os alunos com desempenho abaixo de 450 pontos, 19% declararam que seus pais sequer estudaram ou não souberam responder à pergunta. Enquanto isso, entre os que tiraram mais de 600 pontos, somente 3% se encaixam nessa definição.

    Para Daniel Infante, diretor da Educa Insights, o resultado da análise revela que o governo deveria priorizar incentivos para que os estudantes alcancem o ensino superior. “O resultado da pesquisa é só uma amostra de como a educação é um pilar essencial na redução das desigualdades sociais”, comenta.

    O levantamento levou em consideração 5,9 milhões de candidatos do Enem 2014 que compareceram aos dois dias do Exame e não zeraram nenhuma prova, o equivalente a 68% do total de inscritos. Hoje, o Enem é responsável por selecionar mais de 20% dos estudantes que ingressam em faculdades e universidades pelo país, tanto públicas quanto privadas.

    Fonte: Tribuna da Bahia

    http://www.tribunadabahia.com.br/2016/08/10/escolaridade-dos-pais-afeta-desempenho-dos-filhos-no-enem


    • Compartilhe:

    Comentários: