Estudantes de Jornalismo participam de ciclo de palestras e visitas técnicas para conhecer a produção de algodão da Bahia

  • Abapa

    A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) proporcionou a vinda de grupo de 120 estudantes de Jornalismo para conhecer de perto as lavouras e as estruturas ligadas à cadeia produtiva do algodão da Bahia. Ao desembarcarem na última quinta-feira (19) em Luís Eduardo Magalhães, eles integraram a “press trip” do Prêmio Abapa de Jornalismo, organizada para permitir a produção de reportagens nos formatos impresso e televisão sobre o algodão na Bahia. As inscrições deste material deverão ser realizadas junto às coordenações de curso até o dia 14 de outubro para concorrer a um prêmio total de R$ 12 mil. Participaram da iniciativa os estudantes de cinco instituições de ensino de Salvador: Universidade Federal da Bahia (UFBA), Unijorge, Unifacs, Centro Universitário Estácio da Bahia e FTC.

    Focado na inscrição ao prêmio, o acadêmico do 5º semestre de Jornalismo do Centro Universitário Estácio da Bahia, Vivaldo Marques, acredita que esta foi uma experiência incrível proporcionada pela Abapa que ajudou a trazer uma nova percepção sobre a agricultura e setor agrícola da Bahia. Já a acadêmica do 4º semestre de Jornalismo da Unijorge, Milena Monteiro, se surpreendeu com a estrutura e com toda a moderna tecnologia utilizada na produção de algodão. “No futuro, se eu me deparar com uma pauta sobre a agricultura no Oeste da Bahia, vou estar muito mais preparada”. Já a estudante do terceiro semestre de Jornalismo da UFBA, Luciana Koeppel, reforça que o grande diferencial foi “conhecer uma parte do nosso estado e uma atividade produtiva com a qual não temos muito contato. Não tinha ideia da grandiosidade da produção do agronegócio. Só vindo aqui para ter essa noção”, afirma

    Além da visita a uma lavoura de algodão antes de ser colhido, na Fazenda Savana, em Luís Eduardo Magalhães, eles puderam visitar as instalações da Zanotto Cotton, uma algodoeira que separa a pluma do caroço de algodão; a Icofort, uma indústria de beneficiamento do caroço de algodão; e o Centro de Análise de Fibras da Abapa, considerado o maior laboratório de classificação da pluma da América Latina. Ao acompanhar os estudantes e intermediar a parceria para a participação do Prêmio, a coordenadora do curso de Jornalismo da FTC, Júlia Centurião, reforça que o prêmio vai apoiar a promoção de difusão de conhecimento do setor. “É importante que esses jovens conheçam o universo do agronegócio para poderem retratar essa atividade com conhecimento de causa”, afirma.

    Durante dois dias, eles participaram também de um ciclo de palestras, que abrangeu palestras de todos os processos que envolvem a cadeia produtiva do algodão na Bahia. Foram debatidos temas com produção agrícola, pesquisas para a prevenção e combate a pragas no campo, beneficiamento e qualidade da fibra de algodão, projetos de sustentabilidade e responsabilidade social e sobre a campanha “Sou de Algodão”, de valorização da fibra de algodão no mercado nacional.  Durante a palestra de abertura, ao discorrer sobre o “Agronegócio Baiano: panorama e potencialidades do algodão do Oeste da Bahia”, o presidente da Abapa, Júlio Busato, reforçou na oportunidade que o Prêmio proposto pela entidade tem o objetivo de valorizar os estudantes e profissionais que levam a informação do campo até a cidade.

    “Fazemos muito e trabalhamos em um setor que é considerado um dos maiores do mundo, e a sociedade precisa ter este conhecimento, o que acontece por meio dos profissionais da Imprensa. Somos o segundo maior produtor de algodão do Brasil, com uma estrutura tecnificada e moderna, com uma produção que respeita os mais exigentes protocolos internacionais de sustentabilidade, que inclui o cumprimento integral das legislações ambiental e trabalhista, para conseguirmos comercializar a nossa fibra dentro e fora do Brasil”, afirma.

    Categoria profissional – Com o tema “Agronegócio com foco na cotonicultura do Estado da Bahia”, deverão ser inscritos materiais veiculados em Jornal Impresso, Revista Impressa, Internet e Televisão no período entre 03 de setembro de 2018 a 4 de novembro de 2019.  As inscrições serão realizadas até o dia 5 de novembro. O regulamento permite a inscrição de reportagens de um ou mais profissionais devidamente registrados no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), sendo que um dos autores deverá ser indicado como responsável. A ficha de inscrição e o regulamento com todas as informações podem ser obtidas diretamente no site: http://abapa.com.br/premio-abapa-de-jornalismo/. O Prêmio é realizado pela Abapa com o apoio do Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão (Fundeagro).


    • Compartilhe:

    Comentários: