1º Encontro dos Dandis em Ibotirama

Texto: Jayme Modesto – modesto@jornalgazetadooeste.com.br

Fotos: Jayme Modesto e Cheilla Gobi – cheilla@jornalgazetadooeste.com.br

Reencontrar velhos amigos é reviver duas vezes momentos inesquecíveis, velhos amigos que surgem do inesperado e nos deixam com uma sensação de felicidade, é como se de repente revivêssemos situações, emoções e sentimentos que nos fizeram tão bem em tempos passados. É difícil descrever a alegria do reencontro entre amigos, é difícil passar para o papel as ansiedades que antecedem esses reencontros, a alegria de regressar ao passado.

Reencontrar amigos os quais já não se via há muitos anos é indescritível, é um doce regresso ao passado, no qual a memória nos torna a trazer sentimentos, histórias e até cheiros que julgamos ter perdidos para sempre. É conseguir voltar a ter de novo a mesma alegria e recordar velhas aventuras que se tornam recentes, o que nos transporta para aquele momento passado. É ser menino ou menina outra vez e sentir o mesmo prazer de então, que julgávamos esquecido. É cada um fazer um resumo da nossa vida para o outro amigo. É tudo isso e muito mais que nos deixa cheio de emoção e alegria, antes e depois do reencontro.  Reencontrar amigos é relembrar realmente os tempos passados e nos fazer reatar os laços das verdadeiras amizades.

Foi o que aconteceu neste final de semana em Ibotirama (24/08), onde cerca de 70 pessoas reviveram este momento impar no primeiro Encontro dos Dandis, amigos Cenecista, acompanhados de esposos, esposas e filhos, na chácara Solar Bahia, com a animação da Banda Audirado.

O encontro foi promovido pelos ex-alunos do colégio Cenecista e contou com a presença de amigos inesquecíveis como: Binho Mariane, Diovane Gobi, Julio Delfino, Agnaldo Teles, Andreia Patrícia, Edna Soares, Yana Souza, Andre Luiz, Aldete Almeida, Nivia Leite, Paulo Bomfim, Clayton, Ana Eliza, Silvana Gobi, Solon Pereira, Passarinho, Zelia Ferreira, Simone Gobi, Yeda Maria, Dermeval Oliveira, Dotênio Alves, além de tantos outros que participaram do evento.

Para Binho Mariano, esse foi o primeiro de muitos que ainda acontecerão nos próximos anos.

“Em fim, valeu e valeu muito. A nossa saudade e a nossa esperança de um novo reencontro aos que, por vários motivos, nos deixaram, seguindo outros caminhos. Os nossos agradecimentos àqueles que, mesmo de fora, mas sempre presentes, nos quiseram bem e nos apoiaram nos bons e nos maus momentos. Uma despedida é necessária antes de podermos nos encontrar outra vez”.

E que as despedidas sejam um eterno reencontro.


Compartilhe:

Comentários: