Bem-Estar Animal foi discutido na câmara de Barreiras

Histórico, missão, atuação e necessidades atuais e urgentes da Ong Lobo, bem como sobre a importância da castração e doação foram alguns dos pontos abordados.

 

Texto e fotos: Cheilla Gobi – cheilla@jornalgazetadooeste.com.br

Com o objetivo de debater, conscientizar e mobilizar o poder público e a sociedade em torno da atual situação dos animais domésticos e domesticados abandonados no município de Barreiras, a ONG de proteção animal Lobo – Liga de Ordem para Bichos Órfãos, usou a tribuna popular durante sessão ordinária na Câmara de vereadores desta quarta-feira (28/08).

As sócias fundadoras da Lobo, Rita Luz, Janete Lauck e Tatiana Lauck falaram do histórico, missão, atuação e necessidades atuais e urgentes da Lobo, bem como sobre a importância da castração enquanto única solução para se combater o abandono, controlar doenças e a superpopulação animal; ações voltadas a estimular à adoção de bichos abandonados; direitos animais previstos em lei. O Diretor do Centro de Controle Zoonoses de Barreiras – CCZ, Antônio Luís participou da sessão e falou sobre a Instituição.

Crianças, idosos, pessoas doentes, com deficiência, animais, tudo isso faz parte da sociedade, e conforme Rita se cada um abraçasse uma causa, o mundo seria diferente. “Praticamos a filantropia, apesar de tudo somos seres humanos e faz parte do humano acreditar que pode existir um mundo melhor. A esperança faz parte do nosso trabalho, é por este motivo que estamos aqui. Nós abraçamos a causa animal, a nossa missão é promover o melhor convívio entre o homem e seus animais. Nós da Ong Lobo atuamos desde 2005 com trabalho de doação, e desde 2009 com a castração”, disse Rita.

Mesmo com todo o trabalho da Lobo, Rita estima que atualmente a cidade tem cerca de 16 mil animais domésticos, em situação de rua. “Apesar de todo o trabalho desenvolvido pela Lobo, ainda temos muito a ser feito, portanto precisamos de apoio”.

O Diretor CCZ, Antônio Luís começou seu pronunciamento lamentando uma participação maior do público. “Esperava que a casa estivesse lotada, quando neste momento tivemos uma grande oportunidade, além de demostrar o nosso trabalho, discutirmos ou pelo menos atiçarmos uma consciência melhor”, disse Luís esclarecendo ainda que o trabalho do Zoonoses não se resume apenas em eutanásia.

Janete revelou algumas questões sobre o Centro de Controle de Barreiras, e afirmou que animais doentes ou não são eutanasiados.

“Desde 2006 o Zoonoses é um local que frequento. A Ong tem conhecimento de que é um local de eutanásia, local de animais doentes, positivos principalmente de leishmaniose , mas o que acontece atualmente neste Centro é que todos os animais são eutanasiados. Os sadios que entram no Zoonoses não saem e nem todos que estão lá estão doentes. Quero chamar à atenção dos vereadores e de toda a comunidade  sobre tais atitudes. Abraçamos a causa animal e não vamos permitir que estes animais saudáveis fiquem em condições precárias e sejam eutanasiados mesmo sadios”, assegurou Janete, dizendo ainda que é de obrigação do poder público o bem estar animal.

Durante a sessão, o público pôde conferir ainda uma exposição fotográfica dos bichos órfãos adotados ou não, além de imagens/vídeos exibidos pelas TVs da Câmara.


Compartilhe:

Comentários: