Câmara debate segurança pública em Barreiras

Ascom – Câmara de Barreiras

IMG-20150429-WA0175teNesta quarta-feira (29/04), o coordenador regional de Polícia Civil, delegado Dr. Carlos Roberto de Freitas Silva, ocupou a Tribuna Popular da Câmara Municipal de Barreiras. Durante sua participação, o delegado expôs os principais entraves que hoje dificultam uma maior eficiência nas ações da Polícia Civil, pontuando as dificuldades com efetivo diminuto, que literalmente impede que esta corporação cumpra seu papel investigativo.

Falando de Barreiras, o delegado informou que ocorrem de 30 a 40 ocorrências delituosas diariamente para serem investigadas por 06 agentes lotados na 1ª Delegacia, liberados para esta função. Ao fazer uma radiografia do efetivo, perpassando pela Delegacia de Homicídios (DH), Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM) e Serviço de Investigação (SI), o titular da 11ª COORPIN demostrou claramente a impossibilidade da eficácia plena no trabalho desta força policial, dado o quantitativo de seus integrantes incompatível com as demandas nos municípios sob a jurisdição desta coordenadoria.

Para o coordenador regional, a repressão por si só não debela os altos índices de criminalidade, é preciso que haja investimentos significativos no social, e usou como comparativo o bairro Renato Gonçalves, com zero homicídio em 2014/2015, em contra partida, os homicídios se concentram nos bairros periféricos, onde mora a população menos favorecida. Carlos Freitas ainda chamou a atenção para dificuldades advindas do Poder Judiciário, que precisa ser melhor estruturado para oferecer uma prestação jurisdicional mais célere e adequada à sociedade, citando crimes cometidos por indivíduos que deveriam estar presos, mas que se encontram em liberdade.

Pontuando sobre a possível redução da maioridade penal, em tramitação no Congresso Nacional. “O sistema penal tem a finalidade de ressocializar os indivíduos, mas infelizmente em nosso País quem vai pra cadeia são indivíduos que sequer foram socializados, portanto para estes, não há que se falar em ressocialização”, disse.

Agradecendo a presença do Dr. Carlos Freitas, o presidente da Casa, Carlos Tito disse que o coordenador dignificou o parlamento barreirense com sua presença e esclarecimentos, e colocou o Poder Legislativo a disposição da Polícia Civil para colaborar com a superação da insegurança no município dentro de suas possibilidades.

No Grande Expediente, o vereador Lúcio Carlos (SD), falou da ausência da Prefeitura nas ações que melhor articule as forças de enfrentamento a insegurança pública no município. “Cadê a Secretaria de Segurança Pública?” Indagou o vereador.


Compartilhe:

Comentários: