Caravana Cultural estreita relação entre a SecultBA e a comunidade cultural da região oeste

A II Caravana Cultural da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult/BA), rumo ao Oeste Baiano, chegou ao fim no último sábado (20), após fortalecer e potencializar ainda mais a relação entre Secult/BA e as comunidades culturais dos territórios visitados. Os agentes culturais puderam fazer comentários, criticas e propostas, em encontros com o secretário de Cultura do Estado, Albino Rubim, e a toda a equipe da Caravana, que também passaram informações sobre as políticas culturais que estão sendo implementadas pela Secretaria. “Os principais objetivos da expedição foram alcançados: conhecer as culturas dessas cidades e da região Oeste, conhecer pessoas, estabelecer contatos e identificar possíveis parceiros. Nós saímos daqui muito mais ricos do que nós chegamos, com muito mais contato com essa região e com maiores possibilidades de parceiras”, avalia o secretário Albino Rubim.

Para o titular da pasta, outro aspecto que não estava entre os objetivos iniciais do projeto, mas que terminou sendo importante, foram as Mostras Culturais apresentadas por cada município, que muitas vezes congregaram manifestações que nem se conheciam, nem eram conhecidas pela equipe da SecultBA ou por autoridades locais presentes. “Esse é um resultado muito relevante pois, graças à Caravana, foi criado um intercâmbio entre essas pessoas e dirigentes municipais, por exemplo, que acompanharam em determinados momentos a programação e puderam ver de perto essas manifestações culturais”, pontua. Para Albino Rubim, este contato contribui para sensibilizar esses gestores em relação a importância da cultura nesses municípios e para a riqueza das manifestações artísticas em sua região”, acrescenta.

Conversa com o Secretário

Uma questões mais abordadas pelas comunidades culturais durante a Conversa com o Secretário – momento da programação no qual artistas e agentes da cultura tiveram a oportunidade de debater com o secretário e sua equipe questões da cultura de cada lugar e contribuir para a formação de políticas públicas para o Oeste da Bahia -, foi a demanda da formação, sempre muito importante para o campo da cultura.

Sobre a formação, a Secretaria de cultura expôs sua preocupação com esta área, divulgando a criação da Rede de Formação e Qualificação em Cultura, que reúne universidades em todo o estado, órgãos do sistema S (Senai, Sebrai) e ONGs da área de cultura para estimular a ampliação da oferta de cursos universitários, técnicos e profissionalizantes na Bahia; e do Centro de Formação em Artes da Funceb, que vai estender para outras áreas a experiência da Escola de Dança, que atualmente, atende a quase 1,500 alunos por ano.

“Foi também importante dizer que pretendemos fazer acordos de cooperação, através do estímulo à formação de consórcios entre os municípios, que pode ter várias funções e apoiar diferentes iniciativas na área da cultura, tanto na formação, como na circulação de espetáculos e grupos de um território para outro, de uma cidade para outra”, explica o secretário Albino, destacando a importância das parcerias entre os entes públicos para o desenvolvimento da cultura no estado.

Imersão no Oeste baiano

Para representantes das vinculadas da Secult/BA, a viagem foi enriquecedora e positiva, dada a possibilidade, enquanto instituição, de ampliar o olhar sobre a produção cultural do Estado e refletir sobre os locais onde é preciso reforçar a atuação da Secretaria. “Também fez com que a gente conhecesse mais de perto a ação dos nossos colegas das demais vinculadas da Secretaria em cada um destes municípios, possibilitando uma maior articulação das nossas ações dentro da própria Secretaria. Outro ponto é termos visto que as orientações fornecidas por nós foram colocadas em prática, como no museu em São Desidério, por exemplo”, disse a museóloga, Ana Coelho, coordenadora do Núcleo de Editais e Projetos da Diretoria de Museus (Dimus). O Museu Municipal Olavo Pereira dos Santos foi instalado em São Desidério após representantes da comissão de organização do museu participarem da Oficina de Documentação de Acervos, promovida pela Dimus.

Para a diretora de preservação do patrimônio cultural do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), Elizabete Gándara, a Caravana para o oeste foi bastante positiva, sobretudo, no sentido de permitir o conhecimento de uma região do Estado pouco conhecida culturalmente. “Foi importante também por criar mecanismos para uma avaliação daquela localidade considerando o patrimônio construído e imaterial. Vale ressaltar também o contato direto, pessoal entre a comunidade e a Secretaria”, disse.

“Acho que a Secretaria de Cultura avança com a realização das Caravanas Culturais. Para nós, da Fundação Cultural do Estado (FUNCEB), outras secretarias deveriam atuar da mesma maneira, pois os ganhos são de uma importância enorme. Para mim é importante também como servidor, já que a caravana permite conhecer melhor outras unidades e seus projetos “, finaliza o coordenador de Dança da FUNCEB, Matias Santiago.

Pé na estrada: Caravana tem recepção calorosa em São Desidério

A simpatia natural do homem comum marcou a passagem da Caravana Cultural pelo município de São Desidério, cidade charmosa, que abriga o jeito interiorano de seus habitantes. A comitiva da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia foi recebida com muito carinho e respeito pelo povo e pela administração municipal, que preparou uma série de atividades e a rica Mostra Cultural apresentada no Centro Cultural.

A recepção contou com a apresentação da Orquestra Filarmônica Maestro Eliodoro Alves Ribeirto e um café da manhã servido com iguarias da região. O secretário Albino Rubim e representantes da Secretaria conheceram o Centro de Artes e Informações e o Museu Municipal, além da Orla da Barragem, acompanhados pelo diretor de Turismo do município, Sílvio Reis, pelo secretário de Cultura, João Neris e pelo prefeito, Demir Barbosa.

O encontro com a população do território aconteceu no Centro Cultural Celso Barbosa, onde o secretario estadual tomou conhecimento da realidade cultural do município e trocou experiências com a comunidade local.

“Este com certeza é um momento ímpar da história cultural de São Desidério, uma vez que discutimos, debatemos e propomos, junto ao Secretário Albino Rubin e demais agentes culturais, os rumos da política cultural de nosso município”, disse o diretor de Cultura do município, Vanderlino Barbosa, sobre a passagem da caravana em São Desidério.

Texto e foto: Secult/BA


Compartilhe:

Comentários: