Cremeb libera 56% dos registros de profissionais para o “Mais Médicos”

Dos 52 médicos do programa Mais Médicos que pediram registro junto ao Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb), 29 foram oficialmente registrados. Dos inscritos no programa para atuar nas cidades baianas, 18 profissionais têm pendência com a documentação e cinco pedidos ainda não foram avaliados pela assessoria jurídica do órgão.

A partir de agora, o Ministério da Saúde tem um prazo de 15 dias para informar as entidades e o endereço de atuação e a identificação dos tutores e supervisores que vão acompanhar os profissionais no local de trabalho. Caso o prazo não seja cumprido, os registros provisórios dos médicos serão suspensos. Em relação aos outros inscritos, a entidade aguarda a documentação necessária para liberar o registro.

Em coletiva realizada nessa sexta-feira (20/9), o presidente do Cremeb, José Abelardo Menezes, questionou a capacidade de trabalho dos médicos recém-chegados ao Brasil que vão atuar nas cidades do interior “O Ministério da Saúde vendeu a ideia de que esses profissionais seriam experientes e qualificados em saúde da família, mas para mim quem precisa de tutor e supervisor para desempenhar suas funções não passa de um estagiário.

Menezes acrescentou que os médicos brasileiros têm condições de atender a população, e que necessitam apenas de um incentivo como plano de cargos e carreira para irem às cidades do interior.

“Quem vai sofrer as consequencias com esse programa é a população carente. Muitos brasileiros se recusam a trabalhar no interior porque em muitos locais, são contratados verbalmente, sem nenhuma documentação oficializada e dispensados. Não há necessidade de trazer médicos estrangeiros para o Brasil, é preciso apenas que o governo federal invista mais na Saúde”,disse.

Sobre a denúncia relacionada a demissão de médicos brasileiros que atuam nas cidades do interior a partir da contratação de profissionais estrangeiros, o presidente do Cremeb disse que pretende enviar um dossiê ao Ministério Público do Trabalho para que as informações sejam apuradas. “Se há uma carência de médicos não tem porque demitir os atuantes. Dessa forma, a situação da saúde pública vai ficar cada vez pior”, completou.

A partir de segunda-feira (23), os médicos que vão atuar no programa ‘Mais Médicos’ serão encaminhados para seus locais de trabalho. No momento, 30 cidades da Bahia serão beneficiadas com a chegada desses profissionais.

Os médicos passaram por treinamento desde 26 de agosto, assistindo aulas sobre saúde pública brasileira e língua portuguesa. Eles também receberam orientações sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) e informações específicas sobre o município onde vão trabalhar. Os profissionais que vão atuar exclusivamente na atenção básica e nos postos de saúde terão uma jornada de 40 horas semanais.

Lançado pela presidenta, Dilma Rousseff, no dia 8 de julho, o Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, com objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde e ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país. Os médicos do programa receberão bolsa federal de R$ 10 mil, paga pelo Ministério da Saúde, mais ajuda de custo.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: