Cruzamento do Galo com Galinha d’Angola

Texto e fotos: Jayme Modesto – modesto@jornalgazetadooeste.com.br

Assim como o cruzamento do cavalo com a jumenta gera um híbrido denominado de burro, no reino galináceo isso também acontece. Você já ouviu falar em cruzamento de galo com galinha d’angola? Pois é, isso acontece.
A nossa equipe de reportagem encontrou esse bicho estranho no município de Buritirama, no povoado de São José, na fazenda do Senhor Epaminondas “Seu Nona” e Dona Leuza, avós maternos da diretora deste jornal Késia Neres.

Do cruzamento do galo com galinha d’angola, deu esse bicho grande estranho, porque é considerado híbrido. Ele tem um lado mais feminino e não cruza. O canto é uma mistura do galo com a galinha d’angola. É meio estranho, mas é mais parecido com um peru jovem. Além do canto, ele herdou da galinha d’angola o tamanho do nariz com um buraco bem visível acima do bico. Mas, no geral lembram mesmo as galinhas carijó.

Leuza garante: “O galo fazia a cobertura das cocas e o ovo que foi chocado em uma galinha comum, era mesmo da coca”. Se referindo as galinhas d’angola como são conhecidas na região.        

 


Compartilhe:

Comentários: