Delegado acredita que assassinato do filho da vereadora foi encomendado

Cheilla Gobi – cheilla@jornalgazetadooeste.com.br

Mesmo ainda com poucos detalhes e muitos rumores sobre o assassinato do filho da vereadora de Barreiras, Karlúcia Macedo, o jovem de 18 anos, Caio Crisostomo Macedo, a Polícia Civil trabalha com a hipótese de o crime ter sido encomendado. Em entrevista ao Programa Patrulha RB, na Rádio Barreiras, na manhã desta quinta-feira, 14, o delegado plantonista, Francisco de Sá, falou que as características do delito revelam que, o crime se trata de uma execução encomendada.

Oito cápsulas de pistola ponto 40 foram encontradas no local do crime. Segundo o delegado, arma esta exclusiva da polícia. “Tudo leva a crê que o crime se trata de uma execução, pelos modos operantes. Todos os indícios apontam ser um crime de mando”, afirmou o delegado.

Segundo informações de populares, o executor ainda fotografou o corpo e não se importou em mostrar o rosto.

O crime aconteceu nas imediações do antigo Nego d’água, no início da noite desta quarta-feira, 13. Caio estava com seu cunhado que também foi atingido e se encontra hospitalizado no Hospital do Oeste – HO. Conforme informações de testemunhas ele estava com o capô do carro aberto colocando água no reservatório quando uma moto passou com dois ocupantes, o carona efetuou vários disparos e o alvo era o Caio atingido com sete tiros. Dr. Francisco de Sá acredita que o projétil que atingiu a vítima sobrevivente era bala perdida. As polícias, civil e técnica estiveram no local.

O celular que pertencia ao Caio Macedo foi recolhido e no bolso foi encontrada uma quantia de 11 mil reais.

Segundo o delegado, a investigação é sigilosa e daqui para frente à condução é por conta da delegada Marineide Pires, responsável pelos crimes de homicídio em Barreiras. O levantamento de informações já está sendo feito, até porque é um caso de grande repercussão.


Compartilhe:

Comentários: