Em dia de protestos pelo país, polícia civil e agências bancárias estão paradas em Barreiras

Texto e fotos: Cheilla Gobi

Nesta quinta-feira (11), Dia Nacional de Lutas, policiais civis de Barreiras e as agências bancárias do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal paralisaram as atividades por 24 horas.

Conforme o Preposto do Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia, (Sindpoc), Washington Fialho é de fundamental importância aderir este movimento. “É uma forma de apresentarmos ao governo o quanto o trabalhador está sofrendo, é o momento de apresentarmos nossas dificuldades e protestamos pela valorização do policial civil. Queremos mais qualidade na investigação criminal”.

Na delegacia de Barreiras o efetivo está trabalhando apenas no atendimento de flagrante e levantamento cadavérico durante o período.

Cartazes com pouca visibilidade informam a paralisação nas agências bancárias. O aviso do Banco do Brasil por exemplo diz que razão do movimento afeta questões de segurança. Estão funcionando apenas caixas eletrônicos.

Entre as reivindicações, o fim do fator previdenciário, mecanismo criado por Fernando Henrique Cardoso que reduz em até 40% o valor das aposentadorias que penaliza o aposentado e reduz o valor do benefício e pelas reformas política e agrária, a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução do salário, ampliação dos investimentos em educação, saúde e transporte. Segundo o Sindicato dos Bancários, as reivindicações são antigas e algumas estão paradas há anos no Parlamento. 

Em Barreiras, as lotéricas estão funcionando normalmente, assim como o comércio em geral e os ônibus.


Compartilhe:

Comentários: