Fitossanidade: Bahia determina áreas de refúgio

Ascom Aiba

 

Os grupos operacional e técnico do Programa Fitossanitário do Oeste da Bahia definiram que o percentual da área de refúgio estruturado ideal para preservação das tecnologias BTs , deverá ser de 50% para a soja e de 20% para algodão e milho. Estas definições deverão ser seguidas por todos os produtores do Oeste da Bahia.

A medida será oficializada e fiscalizada pelo órgão de Defesa Agropecuária do Estado, cujo objetivo é o prolongamento máximo da eficiência desta tecnologia, sobretudo na soja.

Comissões – Em reunião, realizada no dia 15 de março, o Grupo Técnico do Programa Fitossanitário da Bahia foi dividido nas seguintes comissões de trabalho: Agentes Biológicos, coordenada por Marco Tamai; Calendário de Plantio, vazio sanitário e irrigantes, coordenado por Luis H. Kasuya e Orestes Mandelli; Inseticidas e OGM´s, sob a responsabilidade de Pedro Brugnera; Outras Pragas, orientada por Paulo Gouveia; Pesquisa e Difusão, sob o comando de Nilson Vicente e a de Comunicação, dirigida por Ivanir Maia.

O objetivo desta divisão é otimizar esforços e dar maior agilidade a troca de informações através da reunião de conhecimentos específicos.

Os agrônomos da região e os produtores associados da Aiba e da Abapa que quiserem participar das comissões deverão confirmar suas áreas de interesse com Ivanir Maia, através do e-mail maia@aiba.org.br..


Compartilhe:

Comentários: