Greve nacional dos bancários: Barreiras adere paralisação

Texto: Cheilla Gobi
Fotos: Jayme Modesto

Com várias reivindicações em pauta, os bancários do município de Barreiras, região oeste da Bahia, também aderiram a greve que teve início nesta terça-feira, 18, em todo o Brasil.

Conforme o sindicato dos bancários da Bahia, a greve começou forte no país, com a participação de trabalhadores dos 26 estados, mais Distrito Federal. A categoria fechou no primeiro dia de paralização 5.132 agências e centros administrativos em todo o país. O número supera o do primeiro dia do ano passado, quando os funcionários de 4.191 unidades bancárias paralisaram as atividades. Segundo o sindicato, a tendência, no entanto, é de que a greve cresça ainda mais.

Os grevistas reivindicam reajuste salarial de 10,25% (aumento real de 5%); Piso salarial de R$ 2.416,38; PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos; Plano de cargos e salários para todos os bancários; Elevação para R$ 622 os valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação, do auxílio-creche/babá e da 13ª cesta-alimentação, além da criação do 13º auxílio-refeição; Mais contratações, proteção contra demissões imotivadas e fim da rotatividade; Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral; Mais segurança; Igualdade de oportunidades.

Agências bancárias em Barreiras estão fechadas.

De acordo com a Funcionária SBBA (Sindicato dos Bancários da Bahia), Jack Souto Medrado Batista Neves, todas as agências bancárias da cidade de Barreiras estão em greve, mas com o funcionamento do auto-atendimento, pagamento de aposentados e pensionistas do INSS, desbloqueio e também entrega de cartões. Jack disse ainda que a greve é por tempo indeterminado.
Os grevistas esperam resolver esse impasse gerado pelos representantes dos bancos o mais rápido possível evitando assim, maiores transtornos à população.


Compartilhe:

Comentários: