Hanseníase tem cura

Secretaria da Saúde Barreiras

A Secretaria da Saúde de Barreiras está organizando a campanha do Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase na próxima sexta-feira (24/01), das 8 às 12 horas, na Praça Castro Alves, onde uma equipe de profissionais de saúde estará presente para orientar a população sobre a doença.

Em Barreiras, o acompanhamento e tratamento dos portadores são realizados durante todo o ano no Centro de Referência Leonídia Ayres, Unidades de Saúde da Família (USF) e Unidades Básicas de Saúde (UBS).

De acordo com a Secretária da Saúde, Regina Figueiredo, “as campanhas contra doenças são imprescindíveis para estimular a população a buscar o tratamento gratuito oferecido na rede municipal, esclarecer sobre formas de contágio e combater o preconceito. Em março, será a vez da companha contra tuberculose”.

Mais de 90% dos pacientes são curados em Barreiras

Atualmente, o percentual de cura da hanseníase no município é de 91,5%, superando o índice estabelecido pelo Ministério da Saúde, que é de 85%. Os casos em menores de 15 anos passaram a ser frequentes em território nacional. Por isso, em Barreiras, as atividades de conscientização têm sido dirigidas, também, aos alunos de escolas públicas.

A doença

A hanseníase é causada pela bactéria Mycobacterium leprae que acomete, principalmente, a pele e os nervos. A contaminação se dá através da saliva e pelas vias respiratórias. Quando a pessoa começa a ser tratada, ela se torna incapaz de transmitir a doença, portanto, não precisa ser afastada do convívio familiar e do trabalho. As sequelas podem ser evitadas se o diagnóstico e tratamento forem feitos na fase inicial.

A hanseníase tem cura e é detectada durante avaliação clínica com testes de sensibilidade na pele e força motora. Exames complementares, como biópsia, podem ser necessários. O tratamento é ambulatorial, com doses mensais supervisionadas nas unidades de saúde e auto administradas em domicílio.

Segundo Arisleide Bispo, coordenadora da campanha em Barreiras, “para que haja o controle, é fundamental que os familiares de portadores realizem exames para detecção da hanseníase. As pessoas devem ficar atentas a qualquer mancha que surgir no corpo, com perda de sensibilidade na área”.

 

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: