Ibotirama, 56 anos inspirando cultura e desenvolvimento

ibot75
Texto e Fotos: Jayme Modesto

Ao completar 56 anos de emancipação política, o promissor município de Ibotirama, à margem direita do Rio São Francisco, promoveu uma extensa programação festiva cultural e esportiva.

O município comemorou o aniversário de independência no dia 14 de agosto. Com aproximadamente 30 mil habitantes, a “Terra da Rica Flor”, que tem em sua origem raízes indígenas oriundas dos primeiros povoadores da região, tem nome de origem Tupi que significa “flor promissora”, através da junção dos termos mbotyra (“flor”) e rama (“promissor, que vai ser, futuro”).

O Prefeito de Ibotirama, Terence Lessa, vem realizando um trabalho louvável durante nesses 18 meses de mandato, promovendo e inserindo atividades esportivas e culturais. Neste mês de agosto, a cidade vai difundiu o esporte nos 56 anos de Ibotirama com modalidades tradicionais e com outras que recentemente receberam apoio da administração municipal.

A cidade se desenvolveu e evoluiu ao longo de todos esses anos e dentre os vários aspectos evolutivos destaca-se a cultura e o esporte.

Atualmente o município vem experimentando avanços significativos, com destaque para a excelente gestão do prefeito Terence Lessa. A cidade vive um momento de progresso e avanços importantes na administração, um grande salto no desenvolvimento, em todos os setores, com obras concluídas e em andamento. Todas as áreas da cidade estão sendo beneficiadas, seja por meio da ação direta com obras permanentes ou por aquelas que vão influenciar na melhoria do local.

ibot72
Programação comemorativa dos 56 anos
A programação dia 14 de agosto, data do aniversário da cidade, começou bem cedo com a alvorada e o café da manhã. Ainda teve uma missa em ação de graças, Levada Elétrica Católica e a feira de artesanato.

Vários eventos culturais, esportivos e festivos marcaram as comemorações de 56 anos de emancipação política de Ibotirama. Eventos esportivos envolveram mais de 500 atletas amadores em provas de ciclismo, futsal, vôlei e atletismo.

Um dos destaques foi à segunda etapa do Campeonato Baiano de Montain Bike XCO, com largada no povoado de Canabrava do Boqueirão, a cerca de 20 km da sede do município, que atraiu ciclistas de diversas regiões do estado.

Além dos eventos esportivos, o município com cerca de 30 mil habitantes, festejou este aniversário como rege a tradição local, com uma programação focada em eventos cívicos, além de apresentações artísticas e culturais.

Embora a data oficial da emancipação seja dia 14 de agosto, a programação teve inicio no dia 26 de julho, com o Festival de Música e Poesia, etapa local com representantes da cidade, onde foram classificados para o Festiva de Música e Poesia, a etapa nacional, 10 poesias e cinco musicas. O evento o musical contou com a participação internacional do colombiano Fernando Salazar e uma atração especial com a Camerata com Matingueiros de Petrolina.

A programação se estendeu durante todo este mês de agosto. Ibotiramenses e visitantes tiveram inúmeras opções de diversão, a exemplo da micareta “Ibotifolia”, que foi realizada de 22 a 24 de agosto com atrações como Psirico, Tuca Fernandes e Aline Rosa, e a 13ª Marcha Pela Paz no dia 30, que encerra a programação.

ibot7
Barco-escola
Estruturado para fomentar a cultura e o lazer na região, o barco-escola São Salvador recebeu o projeto Cultura a Todo Vapor, nos dias 13 e 14 de agosto, com oficinas de teatro de bonecos e também o Recital de Versos.

Não só esta oficina, mas toda a programação foi montada a partir da demanda popular”, afirmou o secretário de Cultura de Ibotirama, Reginaldo Pereira, enfatizando que a preocupação é preservar e incentivar as manifestações populares e culturais.

Os Festivais
A principal marca do aniversário de Ibotirama no calendário baiano de eventos culturais é o Festival de Música Popular (Fempi). Este ano o evento completou 38 anos, com distribuição de aproximadamente R$ 40 mil em prêmios, firmando-o como um dos mais antigos do gênero no Brasil, de acordo com o secretário de cultura Reginaldo Pereira.

“Tivemos inscrições até de outros países”, disse ele, que com uma equipe de profissionais selecionou 20 músicas apresentadas na eliminatória. De modo a garantir a participação de pessoas da terra na etapa nacional, para isso foram realizadas etapas locais.

ibot73 ibot74
Grandes nomes da música baiana comandaram o “Ibotifolia” 2014
O município de Ibotirama esteve em festa neste final de semana. O “Ibotifolia”, realizado pela prefeitura paralelamente aos festejos de aniversário da cidade, garantiu a diversão de nativos e visitantes que apreciaram a micareta que teve a participação dos Blocos Barril, Feliz Idade e Bloco Curumim, que foram responsáveis pela animação de uma grande massa humana.

A tradicional Ibotifolia foi realizada nos dias 22, 23 e 24 de agosto. Uma mega estrutura foi montada com bares, banheiros, arquibancadas e muita segurança, que formou um cenário perfeito para a diversão de milhares de pessoas na Avenida Ex-Combatente até a Praça Ivis de Oliveira.

A grande novidade do Ibotifolia, pelo segundo ano consecutivo, foi o camarote Pier Bar montado na Praça Ivis de Oliveira. Para garantir a segurança e o conforto dos foliões, o Camarote contou com uma estrutura moderna e segura, além dos shows de Nando e Lucas, Gustavo Braga e Jogada do Beco.

O prefeito do município, Terence Lessa não escondeu sua satisfação em ver o local da festa completamente tomado pelos foliões. Terence Lessa participou ativamente da programação falando e abraçando as pessoas que desfilavam dentro e fora dos blocos. Para os foliões não há como negar: a expectativa pela próxima micareta começa sempre que uma acaba. É assim desde quando foi criado há 16 anos, uma das melhores micaretas da região Oeste da Bahia. Muito mais do que números grandiosos e o sucesso, a Ibotifolia agrega alegria, felicidade e oferece entretenimento para os ibotiramenses e turistas, que passam o ano na expectativa de reviver os três dias de folia mais animados da região.

ibot76
Entrevista
Em entrevista com Terence Lessa, um dos prefeitos mais jovens da região e o com melhor avaliação popular, ele explicou que investir em cultura é fazer inclusão social e reduzir a pobreza. Disse ainda que “não se pode fazer cultura sem o uso contínuo da educação. Ibotirama realiza o único festival de música no Brasil em atividade ininterruptamente há 38 anos. Vários ases da música já passaram pelos seus palcos, entre eles Paulo Gabiru, vencedor desta última edição do festival, lendário violeiro da música nordestina que nasceu paulista, mas radicou-se na Lapa.

Leia na integra a entrevista com o prefeito Terence Lessa.

O FEMPI completou 38 anos de realização ininterrupta. O senhor tem 31 anos. Que papel esse festival ocupa na sua vida?
Terence Lessa – Sou de uma geração que nasceu respirando a música, a poesia, já que nossa terra iniciou o festival em 1977, bem antes da minha “chegada”. Ibotirama, para a nossa sorte, não se deixou levar pela febre da cultura de massa, que assola a maioria das regiões brasileiras. Somos, em todo o país, a única cidade a realizar consecutivamente 38 festivais de música e 28 de poesias, em praça pública. Isso me garante, não só como prefeito, mas especialmente como ibotiramense, poder me orgulhar de tal fato, principalmente num momento em que as grandes massas consomem os Lepos-Lepos da vida. Como prefeito, me acho na obrigação de fazer sempre o melhor e ser parte integrante dessa vocação natural da nossa gente. Estamos investindo a cada dia em oficinas de literatura, aulas de música. E em outros meios para atender a todos os interessados, buscando oferecer qualidade não só aos que admiram, mas principalmente àqueles que trabalham incansavelmente para que tudo isso aconteça. Oferecemos condições especiais aos nossos artistas para que representem nossa terra em igualdade de condições frente aos concorrentes de todas as regiões do Brasil, que participam ativamente dos nossos festivais.  Posso afirmar que, na minha vida, todo esse movimento cultural tem uma importância fundamental, já que sou uma das suas crias e, hoje à frente do município, o maior responsável pelo seu sucesso.

Do ponto de vista do gestor, como você avalia os festivais de música e de poesia?
Lessa – São atividades distintas, mas com uma ligação muito grande. Não só pelas obras em si, mas pela grandeza do que representam. Como gestor, é uma responsabilidade muito, mas muito grande mesmo. Imagine você estar no comando de eventos que ao longo de décadas escreveram e continuam escrevendo a história cultural da nossa terra, da nossa gente e que são referências para o Brasil inteiro? É esse o parâmetro que norteia quando o assunto é a nossa cultura. A cada dia somos maiores e vamos continuar trabalhando para que Ibotirama continue sendo uma referência cultural para o Brasil.

Ibotirama tem apenas 27 mil habitantes e mensalmente a prefeitura faz circular um guia de bolso com programação voltada para oficinas, cursos, produção de vídeos, teatro, música e etc. Você considera que Ibotirama está na dianteira de apoio à cultura em comparação a municípios como Barreiras e Luís Eduardo Magalhães?
Lessa – A gente fala dos festivais de forma especial, porém, todas as ações culturais do município são detalhadamente discutidas e avaliadas para poderem ser aplicadas. Talvez esteja aí a razão maior do nosso sucesso. Seja no teatro, na música, oficinas, cursos, produção de vídeos e outros. Nossos movimentos artísticos não se resumem à sede do município. Além dos bairros, os trabalhos são levados à zona rural, não só através das escolas, mas de grupos que fazem parte da nossa secretaria de cultura com o objetivo de despertar principalmente nos jovens dessas comunidades o interesse pela arte.

Qual a vantagem de investir em cultura?
Lessa – No momento em que a maioria dos municípios do país, assim como o nosso, atravessa dificuldades financeiras, poderíamos usar a desculpa de priorizar outros segmentos em detrimento da cultura. Nós optamos por fazer o contrário e o resultado é esse que vocês estão vendo. Somos um município pobre. Mesmo a nossa gestão assinalando um crescimento significativo, ainda temos como base uma agricultura de subsistência.  A grande vantagem em investir na cultura são os efeitos significativos em termos de redução de pobreza e igualdade social. Você não pode olhar de um ângulo onde não se veja tudo o que almeja. Nosso objetivo vai muito além das atividades artísticas que serão apresentadas no amanhã. Para que tudo isso aconteça a contento e dentro do planejado, precisamos obter o sucesso em cadeia. Os seja: o trabalho deve ser aplicado e visto de forma ampla e satisfatória. O município precisa obter resultados e os usuários precisam estar satisfeitos com o que lhes é oferecido.

Essas manifestações culturais também chegam à escola em forma de conhecimento?
Lessa – Como falei anteriormente, o nosso trabalho cultural abrange todo o município e a escola é um dos importantes vetores nesse trabalho. Não se pode fazer cultura sem o uso contínuo da educação. É uma parceria imprescindível. Nossas escolas, nossos profissionais da educação estão engajados e são grandes responsáveis pelos positivos resultados que estamos obtendo.

Como levar o público mais jovem aos festivais?
Lessa – O jovem tem por natureza a curiosidade pelo novo. Se o nosso trabalho é feito na base (escola), é natural que a juventude ibotiramense carregue consigo o interesse pela arte e cultura. É aquilo que pregamos: esse trabalho de inovação através das várias formas culturais mostra que apesar de termos quase quatro décadas de festival de música, a qualidade diferenciada no que se apresenta ano a ano torna-se um fator atrativo determinante. Essa não é só a forma de fazer o jovem participar, é a forma de mostrar à juventude que ela também é responsável por todo esse sucesso.

E como fruto disso, hoje a cidade gera mão de obra, aquece a economia e cria um fluxo significativo de renda extra, circulando no município.

Além disso, essa rotina faz com que seja cada vez mais comum e natural novos cenários sendo erguidos e modificando a fisionomia do lugar, dando o ar de modernidade que tem sido característico de Ibotirama nestes 18 meses do Governo Construindo um Novo Tempo. É a administração que está gerando emprego e renda para os cidadãos da cidade.

O prefeito Terence Lessa, um administrador público, que se levanta cedo e dorme tarde, além disso, demonstra bom trânsito na esfera federal e estadual e se mostra presente sempre que a cidade o chama. Talvez por este mix de atitudes esteja a explicação de ser considerado hoje um dos gestores com a melhor avaliação popular do Estado.

Desde o dia 26 de julho Ibotirama vem realizando vários eventos, a exemplo do 29º Festival de Poesia (FEPI) e 38º Festival de Música Popular de Ibotirama (FEMPI), finalizando a programação no dia 30 de agosto com a 13ª Marcha Pela Paz.


Compartilhe:

Comentários: