Manejo adequado combate mosca branca

Agricultores do Oeste da Bahia recebem informações para o controle da praga que predomina em períodos de seca e pode reduzir renda do campo

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Combater a mosca branca com manejo adequado pode evitar perdas de lavouras inteiras. Por isso, a Bayer CropScience realiza intenso programa de visitas a produtores de soja, milho e feijão do Oeste baiano, região com forte presença da praga. Recentemente a equipe Bayer contou com o apoio da pesquisadora da Embrapa Arroz e Feijão (Santo Antônio de Goiás/GO), Eliane Quintela, para levar informações técnicas aos agricultores com foco no controle.

A mosca branca é uma praga responsável por grandes prejuízos na agricultura – em algumas culturas chegam a 100% de perdas, segundo a Embrapa. Predominante em regiões e épocas mais secas, sua incidência vem crescendo rapidamente no cerrado baiano e representa grandes riscos para o campo. Por ser uma espécie de perfil migratório, e de rápido crescimento populacional, é fundamental para os produtores se prepararem para um manejo integrado, com ações preventivas e monitoramento constante.

Nestas visitas realizadas pela Bayer e pesquisadores parceiros, são apresentadas alternativas de manejo que os agricultores podem implementar para reduzir riscos e prejuízos. “Temos reforçado muito a necessidade do manejo integrado, tanto no que diz respeito ao controle cultural, como controle químico”, enfatiza Luis Corrêa, gerente de Portfólio Inseticidas da Bayer CropScience.

Quando chegam às áreas dos produtores, os consultores costumam encontrar alta população de moscas em todas as fases, chegando a ter mais de 200 ninfas por trifólios/planta e alta pressão de adultos. “Normalmente são nestas condições que os produtores iniciam o combate nas lavouras. Porém, em muitos casos, nesta fase já temos início de fumagina e perda de área foliar, acarretando em prejuízos diretos na produção”, acrescenta Rafael Barbiero, Agrônomo de Desenvolvimento de Mercado da Bayer CropScience.

Os produtores são orientados a começarem o manejo quando há entre 10 e 15 ninfas por trifólio/planta. “Nesta fase é necessário controlar as ninfas e também os adultos, por isso recomendamos a aplicação do inseticida Oberon® nas ninfas e o inseticida Connect® nas moscas adultas, tornando o combate muito mais eficiente, diminuindo assim as perdas”, explica Barbiero.

Para potencializar as visitas em cada fazenda, são convidados produtores da região, que são motivados a replicarem as boas práticas para outros agricultores, auxiliando no controle da mosca branca na Bahia. A praga vem crescendo na região e avançando para todo cerrado, afetando não apenas os produtores de soja, mas também os de feijão, algodão, entre outras culturas. “O compromisso da Bayer é continuar realizando visitas técnicas, palestras e dias de campo para auxiliar os agricultores na implementação de manejo sustentável, no controle de diversas ameaças que geram grandes impactos na região”, finaliza Barbiero.

S2Publicom


Compartilhe:

Comentários: