MUQUÉM: Prefeitura pode fechar se vereadores da oposição continuarem inviabilizando a administração

vereadores

Vereadores da oposição impedem progresso de Muquém


Da Redação

Já dizia Bertold Brecht em seu poema que criticou tão pesadamente aqueles que dizem ter orgulho de se alienar e compactuar com grupos de irracionais, descompromissados e oportunistas, os mesmos que originam o mal da sociedade. Notamos sua razão quando olhamos para o que vem acontecendo no próspero município de Muquém do São Francisco, cujo povo, em sua maioria, sente-se envergonhado em falar sobre a situação do quadro político atual.

Um bom embate político costuma ser salutar para a democracia, mas o que o grupo do PT vem promovendo em Muquém, através do poder legislativo municipal, há quase dois anos, é inaceitável. Frustra literalmente as expectativas da administração municipal e da população, situação insuflada pelos irmãos Guimarães, oportunistas de plantão, que querem tirar proveito e prejudicar o município.

É o “preço” que se paga em votar em vereadores analfabetos e politiqueiros, que querem cumprir rigorosamente o que determina seus “chefes”, para isso atropelam todos os princípios da ética, do bom senso e da lei, comportamento ardiloso e ridículo a serviço da mediocridade de gente que não pensa no bem estar da população. Os vereadores que se dizem “representantes” do povo, estão mais para atores de um teatro que promove o espetáculo “do quanto pior, melhor”, em prejuízo da plateia, a grande prejudicada – o povo.

Diante deste impasse, a administração municipal corre o risco de paralisar serviços essências como: saúde, educação, social e outros. Amordaçada pela falta de responsabilidade e caprichos politiqueiros dos mesmos vereadores que, em um passado próximo na gestão interina, votaram matérias imorais para beneficiar seus chefetes. Como se percebe a incoerência, a falta de conhecimento e de respeito tem sido a marca dos vereadores de oposição em Muquém do São Francisco, que se dizem “representantes” do povo, que não merece este tipo de atitude reprovável, assim cumprem o compromisso de prejudicar a administração municipal.

A prefeitura vem sobrevivendo com um orçamento pequeno e com um remanejamento de dotação orçamentária de apenas 5%, que foi aprovado pela Câmara de Vereadores, que em sua maioria, se recusa a votar o aumento do crédito.

O projeto já foi encaminhado inúmeras vezes a Casa Legislativa e é reprovado pelos vereadores oposicionistas, que acabam prejudicando diretamente a população, com isso o risco da Prefeitura de Muquém do São Francisco fechar as portas fica eminente a cada dia.

Vice presidente, Mylton Pereira e presidente da Câmara Osmar Gaspar lideram grupo de vereadores da oposição

O estranho em tudo isso é que quando o prefeito Márcio Mariano recebeu a prefeitura, a câmara tinha aprovado para a gestão interina de nove meses, 100% de remanejamento o que serviu para promoverem a farra com o dinheiro público.

Outro projeto rejeitado pelos vereadores de oposição que segue rigorosamente a linha dos chefetes do PT, foi referente à compra de cinco ônibus pelo Programa Caminho da Escola. A Câmara se posicionou contrária à aquisição dos veículos. Uma vergonha!

Os recursos já estão alocados, mas necessita de aprovação do Poder Legislativo para que a prefeitura possa entrar com a contrapartida na aquisição desses equipamentos para o transporte escolar, e ai vale lembrar a frase de Bertolt Brecht: “o maior analfabeto é o analfabeto político”.

De acordo com o prefeito Márcio Mariano, os vereadores de oposição estão tentando prejudicá-lo, mas estão afetando diretamente a população de Muquém, em especial os alunos que não terão um transporte de melhor qualidade.

Como o prefeito não tem maioria na Câmara é praticamente impossível à aprovação de projetos de interesse da população. O que está em questionamento é a postura e as estratégias politiqueiras que estes senhores, que se dizem homens públicos, usam para atingir a administração e o povo de Muquém, esquecendo de seus deveres e obrigações com o bem comum da população.

Para os vereadores de oposição pouco importa se a população sofre com as consequências de suas irresponsabilidades, causando danos irreversíveis de serem reparado com essa ignorância coletiva. É lamentavelmente este desvio de conduta de quem foi eleito para representar o povo.

Isso indica uma coisa só: os vereadores de oposição em Muquém estão pouco preocupados com o desenvolvimento do município, a não ser com seus caprichos politiqueiros e mesquinhes, além de almejar a volta de seus “chefes provincianos” ao poder, com o objetivo de fatiar a administração como já fora feito antes na gestão interina, são quadrúpedes servindo de fantoches.

Por tudo isso e muito mais, chega-se à conclusão que por mais que o prefeito Marcio Mariano se esforce para promover o desenvolvimento do município, o futuro de Muquém, já está comprometido. Sabemos que essa é a regra do jogo em matéria de políticos irresponsáveis. Ser amigo de quem é amigo. Ser leal com quem é leal. Ser eleitor de quem é fiel em suas convicções e promessas.

Chega de sermos tolerante com essa politicagem impregnada em certos “representantes” do povo. De agora em diante, precisa se jogar o jogo com suas regras e aniquilar essa politicagem que só maleficio tem trazido para a população e não só em Muquém. Se assim não for, as terríveis consequências desse pensamento negativo e irresponsável vão ser percebidas muito tarde, pois sabemos que esses tipos de políticos e as fraldas são semelhantes, possuem o mesmo conteúdo.

É necessário se criar um “vergonhódromo” para políticos sem-vergonha, que ao chegar ao poder esquecem os compromissos com o povo, são conduzidos pelo ódio e o revanchismo e não pelo sentimento saudável da boa relação.

O analfabetismo político, dos vereadores da oposição de Muquém, e a alienação são extremamente nocivos ao princípio da democracia. É extraordinariamente necessário orientar a população para pensar em como se pode mudar a política, estendendo a atenção para muito além da escolha eleitoral.


Compartilhe:

Comentários: