Prefeito Demir Barbosa e empresários da Bolt Energia reúnem com o governador

Diego Souza

03 (3)textoO prefeito Demir Barbosa acompanhado do secretário de Meio Ambiente e Turismo, Demósthenes Júnior, participaram de uma audiência no gabinete da Governadoria em Salvador com o governador da Bahia, Rui Costa, e diretores da empresa Bolt Energia do Grupo Ático, que iniciará a implantação da Termoelétrica Campo Grande com a capacidade de produção de 150 MW a base de cavaco de eucalipto no município de São Desidério. A reunião contou com a presença dos secretários estaduais, Eugenio Spengler, do Meio Ambiente, Marcus Cavalcante, de Infraestrutura e James Correa de Industria e Comercio.

Durante o encontro foi apresentado ao governador da Bahia, Rui Costa, o projeto da UTE, destacando sua capacidade de produção que será a maior em biomassa da América Latina, como também a possibilidade e expansão contínua de até 300 MW a partir de biomassa e mais 250 MW de energia solar fotovoltaica, além da construção 97 km de  linha transmissão em 230 KV até a sub estação da CHESF em Barreiras com investimento de R$ 994 milhões, sendo  R$ 745 milhões para usina e R$ 249 milhões para o projeto florestal até 2018 com uma estimativa de 4.360  empregos sendo, empregos diretos 1.860 e indiretos 2.500 provocando um efeito de renda.

O diretor executivo da Bolt/Atico, Paulo Monteiro, ressaltou o apoio que tem recebido do poder público municipal e estadual como também das parcerias realizadas com o município para seleção e treinamento de mão de obra local. “Estamos felizes por escolher um município receptivo, cultural e acolhedor. Temos certeza de um empreendimento que irá proporcionar crescimento, avanços nas vendas locais, empregos e dentre outros”, elogiou o diretor da Bolt, Paulo Monteiro.

Para o prefeito Demir Barbosa o empreendimento além de gerar emprego e renda vai solucionar problemas da região. “Além de aquecer a economia do município com a geração de emprego e renda, a usina contribuirá para solucionar o problema de energia da região que está inviabilizado a instalações de novos empreendimentos.”, disse.

01 (5)texto

Fotos: Arquivo da secretaria de Meio Ambiente


Compartilhe:

Comentários: