Prefeitura de LEM é destaque em todo estado através do programa municipal Coleta Seletiva Solidária

Ascom

O_Programa_Coleta_Seletiva_Solidária_retirou_os_catadores   que viviam no lixão, atualmente utilizam equipamentos (carrinhos, fardas e EPI), que  foram comprados por meio de conversão_de__multas.

A Prefeitura  de Luís Eduardo Magalhães, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Economia Solidária (SEMA), participou nos dias 3 e 4 de abril, no auditório da Procuradoria Geral do Estado (PGE), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), do Seminário Estadual Pró-Catador, a convite da Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, (SETRE). O objetivo do encontro foi apresentar o Programa Coleta Seletiva Solidária, projeto referência no Estado da Bahia.

 O evento foi uma iniciativa do Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica de Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis (CIISC), coordenado pela Secretaria Geral da Presidência da República. O Programa Pró-Catador, mobiliza governos estaduais, municipais e catadores de materiais recicláveis para a inclusão social e econômica deste público, em especial nas localidades onde estes trabalhadores ainda desenvolvem suas atividades produtivas nos lixões.

Com_o_apoio_da_SETRE,_foram_adquiridos_todos_os_equipament  os da Central de Triagem e em breve a prefeitura iniciará o_funcionamento.

 A secretária municipal de Meio Ambiente e Economia Solidária, Fernanda Aguiar, acompanhada com o catador, Gilvan Alves dos Santos, apresentaram o programa e a experiência na cidade. Fernanda destacou que, “os catadores foram retirados do lixão e inclusos no Programa Coleta Seletiva Solidária. Gilvan Alves expôs sua experiência, desde a saída do lixão até os dias de hoje, e em breve todos catadores trabalharão no galpão de reciclagem, o qual já está pronto”.

 Programa Coleta Seletiva Solidária – Em 2011 o projeto retirou os catadores que viviam no lixão e os inseriu no programa. Os equipamentos (carrinhos, fardas e EPI) foram comprados por meio de conversão de multas ambientais. Os catadores assinaram um termo de compromisso onde se comprometeram a não adquirir produto de furto, não andar embriagado utilizando a farda do programa e passaram a receber toda a assistência do governo municipal, como cestas básicas, atendimento na saúde, documentação civil, assistência social, inscrição no CADÚnico, cadastro no minha casa, minha vida e inserção dos filhos nas creches.

A_secretária_municipal_de_Meio_Ambiente,Fernanda_Aguiar_e   o catador Sr. Gilvan Alves dos Santos durante apresentação_no_Seminário_em_Salvador.

 Fernanda Aguiar, enfatiza que a SEMA possui muitos desafios, como, diminuir a quantidade de material que vai para o aterro controlado, fazendas e empresas são obrigadas a doar o material para os catadores, de acordo com a Lei de Política Nacional de Resíduos Sólidos. Outro ponto é aumentar a participação da população, gerando mais renda para os colaboradores, inserir os catadores no Educação para jovens e adultos (EJA), realizar a Auto-gestão da Associação/Cooperativa e contratação da mesma, pelo Poder Público, para a realização da coleta seletiva municipal.

Central_de_Triagem_no_bairro_Santa_Cruz_-_LEM_está_se_ade  quando,  ao que prevê a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

 Quase três anos depois do início das atividades o Programa Coleta Seletiva Solidária possui dois caminhões que rodam toda a cidade, com calendário específico da coleta seletiva, com um “jingle” que avisa a chegada do caminhão.    Quarente catadores aguardam para ingressar no programa. Com o apoio da SETRE, foram adquiridos todos os equipamentos da Central de Triagem, que, segundo a secretária, em breve será inaugurada. Fernanda Aguiar lembra que lixo é responsabilidade de quem produz, por isso, o dever de doar o material reciclável e reutilizável que adquirimos para os catadores.


Compartilhe:

Comentários: