Profissionais da saúde de São Desidério são orientados sobre chikungunya e o ebola

???????????????????????
ASCOM SD

A Secretaria Municipal de Saúde por meio do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Sanitária realizou nesta quinta-feira (27), no plenário da Câmara Municipal, uma capacitação destinada aos profissionais que integram a rede hospitalar e de atenção básica, entre enfermeiros, médicos e técnicos em enfermagem, além dos agentes de endemias e a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), com ênfase na classificação de risco e manejo dos pacientes com suspeita de Dengue, Chikungunya e Ebola. O evento teve como palestrantes o coordenador da Vigilância Sanitária, Dorimar Almeida, a enfermeira Roberta Dalmaso e o coordenador do SAMU, Adriano José.

Na capacitação, os profissionais receberam informações relativas aos aspectos clínicos da infecção pelo vírus Chikungunya, enfatizando a importância do diagnóstico diferencial para dengue e outras viroses. Também foram orientados sobre as medidas que deverão ser adotadas frente aos casos suspeitos da doença.

“A febre Chikungunya é uma doença parecida com a dengue, transmitida pelo mosquito da dengue e pode provocar febre alta, dor de cabeça, dores fortes nas articulações e dores musculares”, esclareceu a enfermeira, Roberta Dalmaso.

O coordenador do SAMU, Adriano José, orientou os profissionais sobre o vírus ebola. “Apesar de não ter casos notificados nesta região, os profissionais devem ter conhecimento sobre a doença e o manejo com pacientes enfermos, pois a febre hemorrágica ebola mata 60 a 90% das pessoas que se tornam clinicamente doentes com o vírus que é transmitido pelo contato com o sangue, fluido e tecidos corporais de pessoas infectadas e por isto devem tomar algumas medidas de proteção e imunização, como o uso de roupas privativas, óculos, máscara cirúrgica, sapatos fechados, protetor facial, luvas e capote/avental”, explicou ele.

Para o coordenador da Vigilância Epidemiológica e Saúde do Trabalho, Dorimar Almeida, a solução para combater estas doenças são o conhecimento e a ações preventivas. “Para combater essas doenças é imprescindível à ajuda da população com os cuidados com armazenamento de água, limpeza dos reservatórios e a destinação do lixo, estas medidas simples eliminam os focos dos vetores transmissíveis”, alertou o coordenador.

De acordo com o secretário de Saúde, Jeferson Barbosa, esta capacitação é de extrema relevância, pois tem o intuito de preparar a equipe para como proceder com pacientes suspeitos destas doenças. “Dessa forma poderão estar em alerta com os casos suspeitos e também podem esclarecer algumas dúvidas da comunidade, além de notificar a vigilância para se obter o diagnóstico precoce por meio de exames laboratoriais e o tratamento específico”, ressaltou.

???????????????????????


Compartilhe:

Comentários: