Projeto da Ferrovia de Integração Oeste/Leste é apresentado em São Desidério

Texto e fotos: Adinete Batista

Secretários de governo, vereadores, representantes de sindicatos e associações participaram na tarde desta segunda-feira, 27 no auditório da Prefeitura Municipal de uma reunião para a apresentação do Programa de Comunicação Social da Ferrovia de Integração Oeste – Leste (FIOL) e Divulgação do Empreendimento para as Instituições Locais.

A FIOL contempla 1.527 km de extensão e interligará o norte, centro-oeste e nordeste. Ela estabelecerá comunicação entre Ilhéus, Caetité, Barreiras e São Desidério, cruzando o estado da Bahia até chegar a Figueiropólis, no Tocantins, ponto de sua interligação com a Ferrovia Norte-Sul. Seu traçado passará por 64 municípios, sendo 46 somente na Bahia. Em seu traçado, a ferrovia passará por quase 200 km de traçado em São Desidério, sendo o maior produtor de algodão do Brasil e de grãos do norte e nordeste brasileiro, a obra além de facilitar, dinamiza e incrementa o escoamento da sua produção agrícola e de toda a região.

Pela sua relevância, foi incluída no Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, do Governo Federal e sua execução é de responsabilidade da VALEC, Engenharia, Construções e Ferrovias S.A – empresa pública vinculada ao Ministério dos Transportes.

A facilitadora da OIKOS, empresa que presta serviços de assessoria e consultoria ambiental para a VALEC, Lucia Regina Oliveira, falou sobre o programa e sua apresentação nos municípios que serão cortados pela ferrovia. “É feito o primeiro contato com as instituições, como, prefeituras, secretarias, câmaras de vereadores, associações e sindicatos, posteriormente haverá encontros com a sociedade civil e órgãos institucionais para que possam ter informações sobre o empreendimento e esclarecer as dúvidas”, falou.

Ainda de acordo com Lucia Regina a obra já foi licenciada junto ao IBAMA, com as expedições das Licenças Previas e de Instalação para os lotes 01 a 07.Foi explanado também sobre a implantação dos programas ambientais durante a execução da obra, que tem como objetivo, preservar o meio ambiente e promover a qualidade de vida da população. E os benefícios gerados com o empreendimento, que podem ser destacados, a exemplo do fomento do emprego e de renda nas áreas traçadas pela ferrovia (as empresas construtoras são orientadas a contratar preferencialmente pessoas residentes na região das obras), o crescimento econômico indireto, redução dos custos de transportes de grãos, álcool, e minérios destinados ao comércio e a segurança e sustentabilidade ecológica.


Compartilhe:

Comentários: