Região Oeste: Quantidade de armas apreendidas de janeiro a abril já se iguala ao ano de 2012

Polícia Militar atuante na apreensão de arma de fogo

 Ascom

 

A Polícia Militar na região Oeste da Bahia tem desenvolvido um árduo trabalho de prevenção à violência, prova disso é a grande quantidade de armas apreendidas de Janeiro a abril de 2013, que já se iguala as apreensões realizadas em todo o ano de 2012.

Na cidade de Barreiras foram apreendidas 76 armas de fogo nesse curto período de quatro meses, na cidade de Luís Eduardo Magalhães foram 28 armas, na área da 3ª CIA/PM que compreende as cidades de Formosa do Rio Preto, Santa Rita de Cassia, Riachão das Neves e Mansidão foram 12 armas de fogo e na área da 4ª CIA/PM que compreende as cidades de Cristópolis, São Desidério, Cotegipe, Wanderley, Angical, Baianópolis e Catolândia foram apreendidas mais 14 armas de fogo nesse interstício.

Em toda a região de atuação do 10º BPM foram apreendidas 130 armas de fogo em apenas 120 dias, dados que denotam o excelente trabalho preventivo da Polícia Militar, mesmo enfrentando diversas dificuldades cotidianas e o alto risco de periculosidade a que a tropa é submetida diuturnamente na execução de suas atribuições. O Comando do Batalhão na pessoa do Ten Cel PM Osival tem realizado um trabalho ininterrupto de desarmamento na região, grandes esforços estão sendo realizados para retirar do seio da sociedade esses instrumentos ilegais.

Estratégias

Estratégias e medidas estão sendo realizadas, através de rondas, abordagens e operações policiais. Intervenções estas que vem surtindo efeito, mostrado resultados expressivos alcançados principalmente através do apoio da sociedade, que auxiliam diretamente, sejam através de denúncias, munindo os policiais com informações sobre ilícitos penais através das chamadas de emergência pelo número 190.

Esse trabalho resultou em uma média de apreensões de 1.08 armas de fogo por dia, material bélico esse que poderia ser empregado na prática de crimes e delitos é retirado das mãos de indivíduos de índole e caráter duvidosos que poderiam ser utilizadas para ceifar a vida de inocentes, ou cometer outros tipos de delitos contra o patrimônio ou contra a paz pública.

“Da forma de excelência de atuação do efetivo operacional no combate ao crime, no patamar que nos encontramos ou não haverá mais armas a serem apreendidas, utopicamente falando, ou com a crescente de apreensões este ano de 2013 poderemos finalizar em mais de trezentas armas de fogo, como meta a alcançar”.


Compartilhe:

Comentários: