Retomada das obras da Fiol é debatida em Barreiras

Seminário contará com a participação do governador Jaques Wagner e de ministros de Estado

 

A descentralização do desenvolvimento do Brasil com a retomada da obras da Ferrovia de Integração Oeste Leste foi debatida em Barreiras, na manhã desta sexta-feira (05), durante a reunião preparatória para o Seminário “Fiol: a Bahia quer, o Brasil precisa”, que será realizado no município no próximo dia 26 de abril. O evento contará com a participação da equipe do governo estadual e de, pelo menos, cinco ministros, entre eles o do Transporte, o ex-governador da Bahia, César Borges (PR). A obra interliga o estado do Tocantins ao Porto Sul, em Ilhéus, passando por 47 municípios da Bahia.

Importante para o desenvolvimento do Estado e do País, a obra está parada por problemas técnicos e de ordem ambiental. Em funcionamento, a Fiol beneficiará mais de 140 municípios baianos, já tendo contratado o transporte de 50 milhões de toneladas de produtos, entre minérios e a produção de grãos do Oeste do Estado. A reunião contou com a participação dos parceiros organizadores, entre eles o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA), União dos Municípios da Bahia (UPB), Associação de Agricultores e Irrigantes (Aiba) e associações de municípios do Oeste, Extremo Sul e Sudoeste, Associação dos Engenheiros e Técnicos Ferroviários da Bahia e Sergipe (AELB) e as prefeituras dos municípios de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães. 

A reunião, coordenada pelo deputado federal João Leão (PP), principal defensor da construção da ferrovia, juntamente com o senador Walter Pinheiro (PT), foi realizado na sede da Aiba, com a participação de mais de 100 pessoas, entre autoridades, produtores e iniciativa privada. Segundo o presidente do Crea-BA, engenheiro mecânico Marco Antonio Amigo, o objetivo é reforçar a participação e parceria das várias instituições do Estado. “A Fiol é uma necessidade e depende de vontade política. O seminário visa sensibilizar os órgãos responsáveis para garantir a celeridade da obra que vai descentralizar o desenvolvimento e criar um novo canal de escoamento da produção”.

Viabilidade econômica 

Marco Amigo destacou ainda que o seminário do dia 26 “representa o fim da etapa política e o início da realização da obra, que vai trazer solução definitiva de logística para o desenvolvimento do Estado. De acordo com o deputado federal João Leão, a Fiol tem viabilidade econômica garantida. “São 52 milhões de toneladas de minério da Bamin a partir de 2018, além de outras mineradoras também utilizarão a ferrovia. Outros fatores favorecem o sucesso da obra, como o crescimento da produção agrícola da região Oeste (algodão, soja e milho), que hoje tem que ser transportada para os Portos de Santos (SP) e Paranaguá (Paraná). A Fiol vai permitir uma logística mais simples, barateando o preço do frete para os produtores e o preço do produto final para os consumidores”, assinala.

A ferrovia é vista como a concretização do sonho do visionário  engenheiro civil Vasco Neto, que na década de 60 já trabalhava a possibilidade de ligação dos oceanos atlântico e Pacífico, descentralizando o desenvolvimento do País, da mesma forma como aconteceu com transferência da capital brasileira do Rio de Janeiro para Brasília. É uma alternativa também para a redução do “custo Brasil”. Atualmente, todos os corredores de transporte convergem para o Sul e Sudeste do Estado, congestionando, principalmente, o Porto de Santos. 

Segundo o vice-presidente da Abrapa, João Carlos Jacobsen, “não adianta aos produtores serem competentes da porteira para dentro, se não houver competência da porteira para fora. Estamos perdendo para os concorrentes internacionais e pagando multas caríssimas por atraso na entrega da produção nos portos”. Atualmente, 95% da produção de algodão para exportação cultivado na Bahia segue pelo Porto de Santos.

Eventos

 A mobilização em torno da retomada da construção da Fiol conta ainda com outros eventos marcados, como uma visita na próxima semana ao governador Jaques Wagner (PT), participação da reunião da Comissão da Fiol, na Assembleia Legislativa e o seminário programado para o dia 26 de abril, quando será redigida a “Carta da Bahia” para ser entregue à presidenta Dilma Roussef (PT), também convidada para o evento.

A reunião desta sexta-feira contou com as presenças do presidente da Aiba, Júlio Busato, da presidente da Abap, Isabel Cunha, dos prefeitos Humberto Santa Cruz (Luís Eduardo Magalhães), Antônio Henrique (Barreiras), presidente do CDL de Barreiras, Alberto de Freitas, secretários municipais, entre outras autoridades. Participações também da Associação Comercial de Luís Eduardo Maglhães e dos prefeitos Crisópolis, Brejolândia, São Desidério, Riacho das Neves e Angical, além do superintendente da Caixa Ecômica de Barreiras, Walter Luís.

O evento é uma realização da União dos Municípios do Oeste da Bahia (UMOB), Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia (AMURC), Prefeituras de Barreiras e Luis Eduardo Magalhães, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA) e Associação dos Engenheiros e Técnicos Ferroviários da Bahia e Sergipe (AELB). Conta com apoio da UPB, ALBA, AIBA, ACELEM e FIEB. A coordenação geral é do deputado federal João Leão.

Ligação

 A Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) dinamizará o escoamento da produção da Bahia e servirá de ligação dessa região com outros pólos do país, por intermédio de conexão com a Ferrovia Norte-Sul. Incluída entre as prioridades do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Ferrovia de Integração Oeste-Leste terá 1.527 km de extensão e envolverá investimentos estimados em R$ 7,43 bilhões até 2014.

A Fiol ligará as cidades de Ilhéus, Caetité e Barreiras no estado da Bahia a Figueirópolis, no estado do Tocantins, formando um corredor de transporte que otimizará a operação do Porto Sul, em Ilhéus, e ainda abrirá nova alternativa de logística para portos no norte do país atendidos pela Ferrovia Norte-Sul e Estrada de Ferro Carajás.

Chico Araújo – Assessoria de Imprensa Crea-Ba (MT-1355-Ba)

Assessoria de Comunicação Crea-Bahia – Luciana Kroger – 71 3453-8912

 


Compartilhe:

Comentários: