São Desidério lidera agropecuária

Impulsionado principalmente pelo cultivo de algodão herbáceo, a cidade São Desidério, no oeste baiano, alcançou a liderança nacional no PIB agropecuário dos municípios, totalizando R$ 832 milhões. No levantamento anterior, a cargo do IBGE, o município da Bahia figurava em terceiro lugar. São Desidério – ponto final na Bahia da Ferrovia Oeste Leste –  responde por  14% da produção brasileira e 45% da safra baiana do algodão herbáceo. Os dados do PIB municipal referem-se a 2011.

Segundo maior município em extensão territorial – 14,8 mil mestros quadrados, segundo a prefeitura local -, São Desidério contabiliza 28 mil habitantes. Até os anos 80, sua agricultura era de subsistência. Com o advento do celeiro de grão e da agricultura irrigada no oeste,  a vida no campo viveu uma grande transformação.

Hoje produz ainda milho, soja, café e fruticultura, além da pecuária de corte, com 89 mil cabeças de gado. Tem área plantada total de 532 mil hectares. “Desde 2007 São Desidério detém o título no ranking estadual com o maior Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário, atingindo em 2010 um montante de mais de R$ 1 bilhão”, frisa a prefeitura, no site oficial.

No geral, de acordo com o IBGE, o preço das commodities minerais e agrícolas foi o principal responsável pelas mudanças no Produto Interno Bruto Municipal há dois anos. No Rio de Janeiro, por exemplo, Campos de Goytacazes ultrapassou a capital Rio de Janeiro, por influência da alta do barril de petróleo, no PIB industrial. O município fluminense passou de 0,7% para 0,9% do PIB nacional. Parece pouco, mas é quase o mesmo do que toda renda produzida pelos 1.323 municípios da ultima faixa relativa de venda (que juntos somavam 1 do PIB nacional

Agregando a renda de 55 municípios, alcançou-se, aproximadamente, a metade do PIB nacional e 30,9% da população.  Em 2011, seis capitais concentravam aproximadamente 25,0% da geração de renda do país, das quais cinco dedicadaws à area de serviços (intermediação financeira, comércio e administração pública). São elas: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília, Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG) e Manaus (AM).

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: