Secretaria Municipal de Saúde de São Desidério viabiliza exames oftalmológicos para diagnóstico e prevenção ao glaucoma

ASCOM

A aposentada Diolina Batista da Hora, 65, está entre milhões de brasileiros portadores do glaucoma, uma doença dos olhos que pode levar à cegueira de forma irreversível, por conta do dano ao nervo óptico. É com foco na prevenção e diagnóstico precoce que a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Atenção Básica, em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia e o Ministério da Saúde realizou nesta quinta-feira, 28 na Unidade de Saúde da Família Otacílio Jesuíno de Oliveira a primeira etapa do Programa de Combate às Causas de Cegueira por Glaucoma.

Duzentos e cinquenta pacientes da sede e de comunidades rurais, com idade acima de 40 anos foram examinados nesta primeira etapa, sendo que 37 foram diagnosticados portadores da doença, que a partir de então, irão fazer o tratamento, à base de colírio, recebido no momento da consulta, além de fazer todo um acompanhamento a cada três meses. “Infelizmente descobri hoje que tenho o glaucoma e que o meu problema já está mais grave, há meses estou com a vista embaçada, mas vou fazer todo o tratamento para ter uma vida tranquila”, falou esperançosa, dona Diolina Batista da Hora.

Já dona Ana Maria de Oliveira, 64 que também fez o exame não é portadora da doença. “Graças a Deus, não tenho este problema, estava com medo, por que nunca tinha feito este exame, estou com a visão assim meio complicada, mas vou fazer outros exames para ver se não é cansaço mesmo da idade, a partir de agora vou fazer todo ano, por que já vi pessoas ficarem cegas e, Deus me livra deste problema”, declarou com alívio.

Os pacientes examinados passaram por uma busca ativa anteriormente pelo agente comunitário de saúde da sua localidade ou área. O distrito de Roda Velha, pelo número populacional receberá o atendimento em outra data.

A doença

O Glaucoma acontece quando ocorre aumento da pressão intraocular e danos do nervo óptico decorrentes desse aumento da pressão. É uma doença crônica, que acomete mais as pessoas acima de 40 anos de idade, raça negra e que tenham parentes próximos, portadores do glaucoma, miopia, hipertensão e diabetes. Os exames que detectam a doença são pressão intraocular, o de fundo do olho, campinetria, gonioscopia, dentre outros.

O médico oftalmologista, Clériston Spínnola, do Instituto de Saúde Oftalmológica do Brasil – ISOB, empresa cadastrada no Ministério de Saúde para prestar este atendimento, explicou que há vários tipos de glaucoma, mas no geral, o que acomete mais é o Primário de Ângulo Aberto. “Este glaucoma não causa sintomas e seu diagnóstico é feito através do exame oftalmológico, não tem cura, mas a grande maioria responde bem ao tratamento clínico á base de colírio se diagnosticado precocemente, embora haja casos mais graves que necessitam de tratamento cirúrgico, o tratamento é contínuo e dura a vida toda, sendo controlado e se não tratado, a consequência é a perda da visão, por isso, sendo uma doença silenciosa, é recomendável o exame oftalmológico anualmente”, orientou.


Compartilhe:

Comentários: