“Tudo voltou ao normal”, diz Antonio Henrique sobre área territorial de Barreiras

coletiva-72
Gabriela Flores

O prefeito Antonio Henrique convocou uma coletiva para explicar a imprensa barreirense sobre a polêmica da perda territorial para Luís Eduardo Magalhães e sobre a licitação do transporte público. O evento aconteceu nesta quinta-feira (13) no gabinete do prefeito.

A aprovação da Lei Estadual 12.906 fez com que Barreiras perdesse mais de 30 mil hectares de território para a cidade de Luís Eduardo Magalhães. Antonio Henrique foi à Salvador no começo do mês onde esteve reunido com o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado Marcelo Nilo, e com o governador em exercício, Otto Alencar, para debater os impactos socioeconômicos que Barreiras sofrerá se a lei for mantida.

“Não houve uma apuração de nada. Um órgão não pode simplesmente chegar aqui e mudar os limites territoriais de um município. Precisa ouvir a sociedade. Marcelo Nilo viu que tudo estava errado e já entrou com um projeto para anular tudo isso. Tudo já voltou ao normal”, informou o prefeito.

Com a revogação da Lei, também será revertida a demarcação dos limites com São Desidério, que perderia 9 mil hectares de seu território para Barreiras e corrigirá outras situações semelhantes causadas pela legislação.

“Tem muita coisa errada por trás disso, que vocês não saibam e muito menos eu. Mas não estou aqui dizendo que Humberto [prefeito de LEM] estava sabendo de alguma coisa”, disse Antonio Henrique.

O projeto de revogação da Lei Estadual 12.906 já está em tramitação e será votado na próxima terça-feira (18).

coletiva-71 

Licitação dos ônibus
Em 123 anos de emancipação política administrativa de Barreiras, é a primeira vez que o município realiza uma licitação para o transporte público. Para Antonio Henrique, a licitação é um momento histórico para todos os barreirenses.

“A Viação Cidade de Barreiras apresentou a melhor proposta, a melhor tarifa, tem uma boa base e a partir de janeiro já começam a circular os novos carros”, declarou o prefeito.

De acordo com o contrato, assinado na quarta-feira (12), a empresa terá concessão para operar o serviço de transporte coletivo urbano, rural e distrital de passageiros pelo prazo de 20 anos. A partir de agora, a Viação Cidade de Barreiras deverá cumprir a proposta apresentada na licitação. O contrato inclui a aquisição de uma nova frota de ônibus, incluindo 35 veículos zero quilômetro.

“A partir de janeiro continuará a mesma tarifa de R$1,80, até os novos carros estarem circulando. Depois, que a nova frota chegar, passará para R$ 2,30 e seis meses depois para o preço licitado, que é de R$2,36”, informou Antonio Henrique.


Compartilhe:

Comentários: