Umob se reúne com secretário de saúde do estado em Salvador

O presidente da União dos Municípios do Oeste da Bahia (Umob), Humberto Santa Cruz e outros prefeitos da região reuniram-se com o secretário estadual de saúde, Jorge Solla, na terça-feira, 23, em Salvador no Centro Administrativo da Bahia no gabinete da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), para tratar de assuntos relacionados à saúde regional, entre eles, a implantação do Programa Telessaúde. Os deputados federal, João Leão e estadual Cacá Leão também participaram da reunião.

A ideia é facilitar a dinâmica de atuação dos profissionais e trabalhadores das Redes de Atenção à Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS). O Programa envolve Teleconsultoria realizada em tempo real, geralmente por chat, web ou videoconferência, Telediagnóstico para apoio a distância e Tele-educação, com conferências, aulas e cursos.

O programa estabelece um elo entre os pequenos municípios que muitas vezes  não possuem estrutura suficiente e os grandes centros, normalmente, referência, especialmente em casos de média e alta complexidade. A recente criação de um consórcio entre os municípios que integram a Umob para realização de procedimentos de saúde deve contribuir para a aplicabilidade do programa federal na região.

Outra medida anunciada por Jorge Solla é o projeto para inclusão de enfermeiros obstetras no quadro dos hospitais municipais. Ele acredita que estes profissionais, devidamente capacitados, estariam aptos a realizar partos normais e também os primeiros atendimentos, caso fosse necessário o deslocamento do paciente para centros maiores.

Hospital do Oeste

Também foi debatido na reunião a ampliação do Hospital do Oeste (HO) de Barreiras. Segundo o secretário existe um projeto para ampliação da unidade hospital, mas, que, para ser viabilizado, depende da legalização do terreno. Segundo Solla é necessário diminuir a demanda no Hospital do Oeste e evitar que pacientes com quadros mais simples ocupem a vaga de pessoas que necessitem atendimento mais complexo.

“A maioria dos nossos municípios, com exceção de Barreiras só atendem Atenção Básica”, comentou Humberto Santa Cruz, também prefeito de Luís Eduardo Magalhães, destacando outro ponto comentado na reunião com o secretário Jorge Solla: a criação de uma Central de Leitos para distribuição entre os municípios consorciados. Para o presidente da Umob, o HO é, hoje, fundamental nesse processo.

No que se refere à assistência farmacêutica, o titular da Sesab informou que os municípios (com até 15 mil habitantes) também podem se candidatar para serem contemplados pelo programa Farmácia da Bahia. “Estas unidades são, preferivelmente, implantadas na região central de cada cidade e seguem rigorosamente a critérios como armazenamento e distribuição corretas dos medicamentos”, afirmou Solla.

O secretário estadual também informou que foram contratadas pela Sesab “baterias de exames” que serão destinadas às gestantes, com o intuito de detectar diferentes tipos doenças em todas as cidades baianas. Ainda no que envolve a realização de exames, porém, para ambos os sexos e todas as faixas etárias, Solla informou que existem projetos em andamento para implantação de duas unidades do Laboratório Central (Lacen-BA), no Oeste baiano, sendo uma em Barreiras e outra em Luís Eduardo Magalhães.

Ambulâncias

Sobre o incremento na frota de ambulâncias, o secretário Jorge Solla lembrou aos prefeitos e secretários que o Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), está com linhas de crédito abertas para a aquisição deste tipo de veículo, exclusivamente, às prefeituras. “O Estado pode arcar com até 90% do custo do veículo e a prefeitura pode pagar os 10% restantes em até 48 parcelas com carência de seis meses”, completou.

SEFAZ

A Umob agendará um encontro com o secretario estadual da Fazenda, Luiz Alberto Bastos Petitinga. A intenção é atualizar os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) dos municípios da região oeste, uma vez que o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é cobrado com base nos dados fornecidos pelo instituto.

 

 


* Com informações da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab).

 




 


Compartilhe:

Comentários: