Universidade do Oeste é aprovada

O Plenário do Senado aprovou o Projeto de Lei 2204/11, do Executivo, que cria a Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), por desmembramento da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

A matéria foi aprovada, após articulação do senador Walter Pinheiro (PT), que protocolou e encaminhou pedido de urgência para que o Projeto de Lei fosse votado direto no plenário.

“A aprovação no plenário encurtou a tramitação, já que a matéria tinha que ser analisada em outras duas comissões da Casa, no caso a Comissão de Constituição e Justiça e a Comissão de Educação”, comentou Pinheiro.

Após ter seu pedido de votação da urgência acatado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), Pinheiro proferiu no Plenário o parecer favorável, finalizando a votação. Segundo o petista, com a matéria pronta para ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff, a universidade poderá ser estruturada para iniciar suas atividades já no próximo ano.

“O motivo dessa urgência é para que a universidade tenha tempo suficiente para se estruturar e, ainda no ano de 2014, garantir aos estudantes do Oeste baiano a oportunidade para o ingresso aos cursos”, destacou.

Pinheiro lembrou ainda os diversos campi que serão instalados com a criação da Ufob e a importância para o incremento do desenvolvimento regional.

A nova instituição terá sede no município de Barreiras e contará com quatro campi nos municípios de Barra, Bom Jesus da Lapa, Santa Maria de Vitória e Luís Eduardo Magalhães. Na Ufob, serão oferecidos 35 cursos de graduação, que deverão atender a 7.930 estudantes.

Para a senadora Lídice da Mata (PSB), a nova universidade vai proporcionar novos cursos voltados para as atividades econômicas da região. Lídice teve importante papel na tramitação do projeto, já que conseguiu reunir os líderes do governo para assinar e aprovar o requerimento para que a matéria fosse apreciada no Senado.

A senadora também destacou o pronto atendimento do Ministério da Educação aos pleitos dos senadores baianos, empenhados em expandir a rede de instituições federais de ensino superior no estado.

“A aprovação destas duas novas universidades vão ajudar a tirar a Bahia da condição de segunda pior relação entre a demanda e a oferta de ensino superior público do Brasil. Há tempos nossa população reivindicava a instalação de novas unidades que possam vir a atender suas necessidades de formação profissional, com mais opções de graduação, pós-graduação e atividades de pesquisa ”, destacou Lídice. 

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem:Ilustração


Compartilhe:

Comentários: