Vacina contra o HPV estará disponível na rede municipal de saúde de São Desidério

Texto: Adinete Batista

Foto: Divulgação

Com a finalidade de melhorar a saúde das mulheres e prevenir contra o aparecimento do câncer de colo de útero, o Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização e secretarias municipais, amplia o calendário básico com a vacina quadrivalente contra o Papilomavírus, o HPV, no Sistema Único da Saúde – SUS. Em São Desidério, a vacina estará disponível, para as meninas de 11 a 13 anos, em todas as 16 Unidades Básicas de Saúde – UBS a partir de 10 de março.

 A estimativa da Secretaria Municipal de Saúde é que no município aproximadamente 980 adolescentes nesta faixa etária sejam imunizadas. “Para realizar a imunização é preciso que estas meninas estejam acompanhadas por seus pais ou responsáveis. Esta normativa segue o Estatuto da Criança e do Adolescente, elas devem estar munidas da carteirinha de vacinação e, caso ainda não a tenham, podem apresentar a carteira da UBS que frequentam, aquelas que não tiverem cadastro em alguma UBS devem levar um documento de identificação (RG)”, explicou a coordenadora de Atenção Básica, Mônica Valéria.

A vacinação conjuntamente com atuais ações permitirá o rastreamento do câncer do colo de útero e possibilitará nas próximas décadas prevenir esta doença que representa hoje a segunda principal causa de morte por câncer entres as mulheres no Brasil.

O esquema de vacina proposto pelo Ministério da Saúde (MS) é de três doses. A primeira dose a partir do dia – D para o público-alvo, que acontece no dia 10 de março. A segunda dose será seis meses depois da primeira, ou seja, em setembro. A terceira e última dose será aplicada após cinco anos, a contar da aplicação da primeira dose.

Ainda de acordo com a coordenadora, Mônica Valéria, a imunização contra o HPV é importante, porque é uma medida preventiva que será sentida em longo prazo. “Essa vacina é importante porque ela é quadrivalente, ou seja, previne contra quatro tipos de HPV. Dois deles (os tipos 16 e 18) são responsáveis pela maioria dos casos de câncer de colo-uterino no país. É recomendado tomar a vacina antes de iniciar a vida sexual, para que a menina não tenha tido um possível contato com o vírus, embora a doença não substitua o uso de preventivos e a realização do exame papanicolau, conhecido como o preventivo ginecológico”, ressaltou.

 Os profissionais da saúde receberam capacitação com informações acerca da doença e vacina.

A doença – O HPV é a sigla para vírus do papiloma humano, e vem do inglês Human Papiloma Virus. HPV é um vírus que infecta a pele e possui mais de 200 variações diferentes, e a maioria aparece através de verrugas, e geralmente em locais escondidos. A principal forma de transmissão do HPV é através de relações sexuais, e é a  doença sexualmente transmissível mais frequente e conhecida, geralmente as mulheres são as que mais possuem o problema. A maioria das situações não apresenta sintomas clínicos, e se a pessoa demora muito para descobrir, o vírus pode se tornar um câncer do colo do útero, o tipo de HPV mais conhecido e grave. Para a mulher prevenir o câncer do colo do útero é importante fazer o exame chamado Papanicolau com uma certa frequência, para ter sempre controle. Apesar de ser mais difícil, a infecção pode ocorrer no homem também, porém as manifestações são menos frequentes.


Compartilhe:

Comentários: