Vereadores repudiam remarcação dos limites de São Desidério

Ascom/ CMSD
Os vereadores da Câmara Municipal de São Desidério (CMSD) debateram sobre a remarcação dos limites de São Desidério feito pela Lei nº 12.906/2013, de autoria do deputado João Bonfim (PTB), pela qual o município perde mais de 12 mil hectares de terras produtivas para os municípios de Barreiras e Luis Eduardo Magalhães. A denúncia foi feita pelo vereador Joacy Carvalho na Sessão Ordinária desta quarta-feira (12).

Fazendo uso da Tribuna, o vereador Joacy repudiou a tentativa de remarcação e fez uma alerta quanto ao abalo aos cofres públicos. “Com essa alteração vamos perder mais de um milhão de reais em ITR por ano. Com esse dinheiro poderíamos construir uma escola modelo por ano, para vocês entenderem o quanto isso representa. Não vou deixar isso passar, de forma alguma”, alertou o vereador.

A informação gerou descontentamento em todos os vereadores. Em parte, vereador Camarão chamou atenção para a possibilidade de modificação da lei pela Assembléia Legislativa. “Acredito que essa lei será modificada. Parece que houve a tentativa de golpe. Os deputados não sabiam nem o que estavam votando. Com certeza, o nosso prefeito vai reagir a esse fato, pois não dá pra perder tanta terra produtiva desta forma”, analisou o vereador.

O vereador Bira, ao fazer uso da Tribuna, denunciou a grilagem de terras que continua ocorrendo no município. Segundo ele, os pequenos produtores dos povoados de Ilha do Vitor e Ponte de Mateus estão sendo tirados das propriedades à bala. “Mais de 50 famílias, só de Ponte de Mateus, estão vivendo com medo. Os pistoleiros fazem ameaças constantes para tirá-los das terras”, afirmou. E o vereador ainda comparou a situação à remarcação dos municípios. “E agora a grilagem está saindo da esfera pessoal e partindo para o Estado. Estão querendo tomar nossas terras à força. Isso é um absurdo!”, criticou Bira.

Encerrando a discussão, o vereador Gerson de Carvalho ratificou a importância de buscar revogar a lei nº 12.906/2013 para restabelecer os direitos territoriais de São Desidério. “Temos que tomar as providências necessárias para protegermos os direitos do município”, afirmou o vereador. 


Compartilhe:

Comentários: