“Viver sem Limite” foi apresentado em Barreiras

Texto e fotos: Cheilla Gobi

O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência “Viver sem Limites”, foi apresentado no auditório do Centro Territorial de Educação Profissional do Oeste Baiano – CETEP, em Barreiras. O evento foi destinado aos municípios que compõe as Bacias do Rio Grande e Rio Corrente. No dia 24 de julho, o encontro foi direcionado aos prefeitos, secretários, diretores e técnicos. Dia 25, com os Conselhos e entidades da sociedade civil. Já a visita técnica aos órgãos e entidades do município ocorreu no dia 26.

O evento foi destinado aos municípios que compõe as Bacias do Rio Grande e Rio Corrente. A proposta do “Viver sem Limite” é que o Governo Federal, estados, Distrito Federal e municípios façam com que a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU, aconteça na vida das pessoas por meio da articulação de políticas governamentais de acesso à educação, inclusão social, atenção à saúde e acessibilidade.O programa, que foi lançado em 2011 pelo governo brasileiro, foi apresentado pelo apoiador institucional, Moyses de Oliveira Leal que ao apresentar o Plano, destacou o volume de investimentos previstos para o Viver sem Limite, de R$ 7,6 bilhões até 2014. Disse ainda que o ano de 2012 foi adesão dos estados, 2011 dos municípios e que agora já está na 14ª edição de encontros de territórios. “Sabemos que a Bahia possui 417 municípios e 27 territórios e dividimos em 15 grandes encontros. Precisamos preparar espaços para as pessoas com deficiência”, disse.

De acordo com Moyses, na região oeste, Formosa do Rio Preto, Jequié, Xique-Xique, Santa Rita de Cássia e Catolândia foram os municípios que não aderiram e consequentemente não renovaram o cadastro no programa. Um representante de Formosa, com pré nome Fábio,  justificou que a não participação do município é devido a problemas com a internet e com o sistema.

Viver sem Limite

Lançado pela presidenta Dilma Rousseff em novembro de 2011, o Viver sem Limite é um conjunto de ações, coordenadas pela Secretaria de Direitos Humanos, com parceria de mais 15 ministérios e do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade). Estas ações estão estruturadas em quatro eixos: Acesso à Educação, Atenção à Saúde, Inclusão Social e Acessibilidade.


Compartilhe:

Comentários: