10% no Brasil têm problemas nos rins

Ainda quando criança, o estudante Rogério Lucas Teixeira, 18 anos, perdeu um dos rins e no ano passado, ele passou mal e desmaiou. Ao ser levado para um hospital público na cidade de Brumado, onde reside, o jovem teve a triste notícia de  que o outro rim parou de funcionar.

Em plena fase da adolescência, o rapaz teve que mudar sua vida radicalmente e ficou internado numa unidade hospitalar por um mês e, desde então, faz tratamentos em casa. Lucas faz hemodiálise três vezes por semana, tem acompanhamento com psicólogos e sua alimentação é diferenciada. Ele aguarda na fila de doadores de órgãos e, para agilizar o processo, várias pessoas da família irão fazer exames para aferir a compatibilidade para lhe doar um rim. O pai do estudante está realizando diversos exames, na tentativa de poder ser o doador.

Lucas faz parte da pesquisa que revela que um em cada dez brasileiros sofre com alguma disfunção renal. Outra doença associada ao rim que chama atenção dos médicos é o câncer de rim. No Brasil estima-se uma incidência de 7-10 casos a cada 100 mil habitantes por ano.

Esse tipo de enfermidade é duas vezes mais frequente nos homens que nas mulheres e atinge pessoas com faixa etária entre os 50 e 70 anos. Os principais sintomas são: sangue na urina e dor na região lombar, que podem ser facilmente confundidos com sintomas relacionados a outras enfermidades.

 Com o objetivo de alertar as pessoas para a necessidade de prevenir a doença renal crônica, que pode ser progressiva e irreversível, o Hospital Português promove uma palestra aberta ao público, para discutir o tema. A exposição acontecerá hoje dia (13), das 14h30 às 16h30, no auditório Adélia Carvalho, no mezanino do Centro Médico do hospital.

A iniciativa, apoiada pela Sociedade Brasileira de Nefrologia, (SBN), marca as ações da instituição no Dia Mundial do Rim e visa proporcionar informações sobre os principais fatores de risco de desenvolvimento da doença, além de acesso gratuito ao teste glicêmico e aferição da pressão arterial.

A médica líder do Serviço Nefrologia do Hospital Português, Margarida Dutra, ministrará a palestra e afirma que em cada 10 brasileiros adultos, um seja portador de algum grau de disfunção renal. Segundo ela, as pessoas que estão na zona de risco são os idosos, já que o envelhecimento contribui para a doença renal. “A desinformação associada à falta de controle da diabetes e da hipertensão arterial são as principais causas de avanço da doença”, destaca a médica.

Para chamar a atenção das pessoas, a SBN traz como tema deste ano: “1 em 10. O Rim envelhece, assim como nós”. A proposta da entidade, juntamente com o Ministério da Saúde é alertar a população para os principais fatores responsáveis pela disfunção renal crônica como: hipertensão arterial, obesidade, diabetes, idade avançada, tabagismo e histórico familiar da doença.

“A prevenção é a melhor forma de lidar com o problema. Esperamos uma adesão maior do público neste ano, sobretudo, durante o exame gratuito de glicemia e a aferição da pressão arterial”, convida à especialista. As avaliações serão realizadas de forma concomitante à palestra, até 15h. No encerramento, previsto para as 16h30, o público vai poder conferir o talento artístico de alguns pacientes da diálise do HP, que farão uma apresentação reunindo música e dança.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: