Afetadas pelo forte calor, 36 aves são resgatadas no Rio

A forte onda de calor que atinge o Rio e a poluição que suja as praias cariocas não estão atrapalhando apenas a vida dos banhistas. Diversas espécies de pássaros estão sofrendo acidentes e caindo nas areias. Só nos últimos dez dias, 36 aves foram resgatas pela SOS Aves e Cia., pelo Grupamento Marítimo dos Bombeiros (GMar) ou por voluntários.

Segundo o presidente da ONG SOS Aves, Paulo Maia, fragatas, atobás, gaivotas e biguás ficam desorientados com as altas temperaturas e a poluição. Ele pede aos banhistas que, ao avistarem uma ave desorientada, levem o animal para um local ventilado e com sombra e chamem o socorro:

— Essas aves pernoitam em ilhas costeiras e passam o dia nas praias, lagoas e baías, atrás de alimento. Em função das altas temperaturas registradas nesses dias e com o seu habitat superlotado por gente e lanchas, as aves, desorientadas, ficam exaustas, acabam sofrendo acidentes e caindo.

Segundo Maia, o tipo de tratamento depende do animal. Mas, em geral, a ave fica em quarentena, sendo medicada e observada, para depois ser reintegrada ao seu ambiente. Para ele, a principal causa do problema é a poluição.

— O turista vem para o Rio para ir à praia e encontra o mar cheio de esgoto e as areias repletas de lixo — reclamou.

Durante o resgate de uma fragata na tarde de ontem, Maia foi agredido por uma turista na altura do Posto 10, em Ipanema. Ao ver o ambientalista com a ave, a mulher exigiu saber para onde ele a estava levando e pediu seus documentos. Maia chegou a acionar a polícia, mas a turista foi embora.

O subtenente Raul Brilhante, do 3º GMar, está acostumado a resgatar aves nas areias das praias cariocas. Nos últimos dias, ele socorreu cerca de sete pássaros. Segundo o oficial, o problema é comum durante o verão:

— Estamos resgatando muitos atobás e fragatas. Algumas aves aparentam estar bem, enquanto outras estão quase morrendo por desnutrição e com cortes feitos por linhas de pesca e de pipas — disse, ressaltando que não se deve dar comida às aves.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: