Apagão pode ter sido causado por raio, diz diretor do ONS

Falha do sistema ocorreu na terça-feira e prejudicou 13 estados e o DF.
Relatório sobre as causas do problema deve ficar pronto em 15 dias.

O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, afirmou nesta quinta-feira (6) que um raio pode ter provocado o apagão que atingiu 13 estados e o Distrito Federal na última terça-feira (4). Segundo ele, o relatório sobre as causas do problema deve ficar pronto em 15 dias.

“Uma das hipóteses é descarga elétrica”, disse Chipp. “Normalmente, o que eles (os responsáveis por avaliar o problema) fazem é releitura, observam equipamentos, verificam se teve alguma danificação de isolador, verificam porque o raio causou curto, se foi um raio. Acredito que o relatório (sobre as causas do apagão) esteja pronto em 15 dias”, disse.

Em reunião do ONS, no Rio de Janeiro, o diretor disse que não houve falha humana “de jeito nenhum”. Ele também descartou que tenha havido sobrecarga ou falha no sistema de proteção da rede. “Pode ser que o curto tenha sido provocado por outro fenômeno. Falha de manutenção também está descartada”, concluiu.

Dilma e hipótese de raio
Em dezembro de 2012, a presidente Dilma Rousseff Dilma criticou a justificativa dada por técnicos do ONS de que um raio poderia ter sido a causa de um apagãoocorrido em 15 estados.

Hermes Chipp, diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) (Foto: Cristiane Oliveira/G1)“O dia que falarem que caiu um raio, vocês gargalhem. Raio cai todo dia nesse país, toda hora. Raio não pode desligar sistema. Se caiu [a transmissão de energia] por causa de raio, é falha humana”, disse a presidente. “O sistema tem de ter bloqueio, tem de ter proteção, tem que ter desligamentos localizados, um grau de precisão de proteção elevado”, acrescentou.

Quatro regiões atingidas
Na terça-feira, uma falha em uma linha de energia que liga o Norte ao Sudeste do país provocou falta de luz em todos os estados do Sudeste, do Sul e do Centro-Oeste, além de Rondônia, Acre e Tocantis, na Região Norte. Treze estados tiveram o fornecimento de eletricidade comprometido e ao menos 6 milhões de pessoas foram afetadas pelo apagão, segundo estimativas do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Em entrevista coletiva na terça-feira (4), em Brasília, o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, descartou que a falha esteja relacionada ao aumento do consumo de energia nas últimas semanas, provocado pelo calor.

Pouco depois da entrevista do secretário-executivo, o ONS divulgou em comunicado oficial que o apagão começou após um curto-circuito em uma linha de transmissão no Tocantins.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: