Aplicativo pretende auxiliar mulheres contra violência

Aplicativo pretende auxiliar mulheres contra violência

Na tentativa de tirar a Bahia do 2º lugar no ranking nacional de violência contra a mulher, foi desenvolvido o aplicativo Botão do Pânico, para smartphones com sistemas operacionais iOS e android. A implantação do serviço foi solicitada ao governo do estado, que ainda não deu resposta.

Através do dispositivo, a mulher que sofrer ameaças de seus maridos, ex-maridos, companheiros ou qualquer outra pessoa pode acionar a polícia com apenas um toque no celular.

À frente da Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a desembargadora Nágila Brito elogiou a futura ferramenta, mas questionou a restrição do uso do app só para quem tem smartphones.

“Com certeza, vai ser muito útil, principalmente quanto a sua eficácia. Também não requer distribuição de equipamento físico e não terá custo com logística. Entretanto, levando em conta que a maioria destas mulheres é de classe baixa e não possui celulares com este  sistema,  me pergunto se elas vão poder utilizar o serviço”.

Ideia

A criação do aplicativo é de autoria do presidente da Câmara Municipal de Salvador, Paulo Câmara (PSDB). Após parecer favorável do relator da Comissão de Constituição e Justiça, Alfredo Mangueira, ele encaminhou Projeto de Indicação (PIN 01/2014) ao governador Jaques Wagner, sugerindo ao Executivo a responsabilidade (e os custos) de implantação do serviço.

Vantagens

“Hoje, a Bahia só perde para o Espirito Santo em crimes contra a mulher, com índice de 9,08 vítimas fatais para cada 100 mi habitantes. Percebendo essa situação e atrelado ao advento da tecnologia, resolvi, junto com minha equipe desenvolver este dispositivo”, disse Câmara.

Lembrou que o sistema oferece facilidade, agilidade e é grátis. “O usuário vai baixar o app nas lojas online iTunes e Google Play, preencher um cadastro e, se aprovado, estará apto apertar o Botão do Pânico. Um sinal será emitido a uma central, que enviará uma viatura. Também funcionará como gravador,  que poderá ser utilizado como prova”.

No Espirito Santo, projeto semelhante funciona desde abril de 2013. Lá, o Botão do Pânico funciona através de um chip interligado via GPS a uma central. O dispositivo foi desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do ES em parceria com a prefeitura de Vitória.

Fonte: Portal A Tarde


Compartilhe:

Comentários: