Bahia tem mais de 90% do rebanho bovino vacinado contra febre aftosa

Com 91,15% do rebanho vacinado contra a febre aftosa, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Pecuária, encerra a primeira etapa de vacinação de 2013 comemorando o alto índice vacina, acima dos 90% exigidos pela Organização Mundial de Saúde  Animal (OIE), mesmo com os problemas ocasionados pela forte seca que atingiu mais de 60% do Estado. Os dados divulgados nessa segunda-feira (29/7) reforçam a responsabilidade do criador e o compromisso do governo do Estado em desenvolver e fortalecer pecuária, garantindo a sanidade das 11.173.003 cabeças existentes em território baiano, mantendo o status de Livre da Febre Aftosa com Vacinação.

“As atividades de defesa unidas ao processo de modernização da pecuária trazem resultados positivos, favorecendo o sucesso das ações, o alcance das metas e a superação de desafios no combate a seca”, avalia o secretário da Agricultura engenheiro agrônomo Eduardo Salles. Para ele o índice alcançado é um excelente patamar, além de ser resultado do empenho das iniciativas público e privada em prol do setor.  “Isso é o reflexo do esforço conjunto entre criadores, associações, sindicatos, governo do Estado e Ministério da Agricultura dentro do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa”.

Entre as regiões que obtiveram melhores índices estão as de Itapetinga (97,63%), Teixeira de Freitas (97,34%), Barreiras (96,56%),  Irecê (96,47%) e Santa Maria da Vitória (96,35%). O grande destaque nesta etapa de vacinação foi para a Zona de Proteção com índice de cobertura vacinal de 94,59%, composta pelos municípios de Formosa do Rio Preto, Santa Rita de Cássia, Mansidão, Buritirama, Remanso, Casa Nova, Pilão Arcado e Campo Alegre de Lourdes. Estes fazem divisa com Pernambuco e Piauí, estados que ainda não foram reconhecidos pelo Ministério da Agricultura como livre de aftosa com vacinação.

 “Estamos cumprindo com o nosso papel de zelar pelo patrimônio pecuário na Bahia, agindo em defesa de toda comunidade rural no Estado e garantindo condições mais favoráveis para que o pequeno produtor mantenha seu rebanho livre da aftosa”, salienta o diretor geral da Adab, Paulo Emílio Torres. Para isso, a fiscalização do trânsito de animais e da vigilância ativa das propriedades foi intensificada propiciando maior segurança aos serviços oferecidos ao produtor.

“E neste quesito, temos que ressaltar a importância do processo de informatização da Adab, que auferiu solidez e segurança total nas informações da base cadastral”, completa Torres, lembrando ainda da eficiência no cruzamento de informações com as Guia de Trânsito Animal (GTA) como fator fundamental para a realização das atividades.

“Os criadores entendem e trabalham com empenho para manter a pecuária como uma atividade viável na Bahia”, afirma o presidente da Federação da Agricultura do estado da Bahia (Faeb), João Martins. “Nesse momento ainda delicado, temos que continuar unindo esforços e compartilhando responsabilidades para não comprometer ainda mais a atividade diante das condições climáticas desfavoráveis”, pondera.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: