Bahia tem queda de 10,8% no número de homicídios

O secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, divulgou ontem um balanço dos crimes violentos cometidos no estado no primeiro semestre deste ano. Houve queda com relação ao mesmo período do ano passado

O número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) caiu  10,8% no primeiro semestre deste ano na Bahia, em comparação  com o mesmo período do ano passado. Foram 2.876 ocorrências este ano, contra  3.224 em 2012 — ano em que, segundo a própria Secretaria da Segurança Pública (SSP), os índices de criminalidade foram elevados por conta da greve da Polícia Militar.

Os CVLIs incluem homicídios, latrocínios (assalto seguido de morte) e lesões corporais seguidas de morte. Os dados foram divulgados ontem, pelo secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, em audiência pública na Assembleia Legislativa.

O secretário disse que os resultados são fruto de um esforço conjunto que vem sendo feito desde a criação do programa Pacto pela Vida e atribui a queda na criminalidade às investigações mais detalhadas, à contratação de mais policiais e aos investimentos em infraestrutura.“De 2006 até agora, cerca de 12 mil policiais foram contratados e investimos R$ 142 milhões em infraestrutura”.

O relatório mostra que a maior queda foi registrada na Região Metropolitana de Salvador (RMS), onde houve redução de 20,5%: de 469 ocorrências para 373. O campeão em redução, na Região Metropolitana, foi Dias D’Ávila.

Em toda a Bahia, três cidades tiveram índices de queda ainda maior: Euclides da Cunha, no Nordeste do estado,  que teve três homicídios no primeiro semestre de 2012 e zerou esse número em 2013;  Bom Jesus da Lapa, que teve queda de 58,3% – de 12 para 5; e Itapetinga, onde houve redução de 57,1% (de 14 poara 6). Também registraram quedas significativas cidades médias do estado como Juazeiro (-45,6%) e  Feira de Santana (- 33,9%).

Interior
O levantamento realizado pela Secretaria de Segurança Pública apresenta os dados dos 43 municípios que concentram 72% dos CVLIs no estado. Em 30 cidades, foram registradas quedas nos índices de criminalidade. Em outros dois municípios, os números ficaram estáveis e, em 11, houve aumento de crimes violentos.

As cidades de Seabra, na Chapada Diamantina, e Senhor do Bonfim, no norte do estado, registraram os maiores índices de crescimento da criminalidade: 100% cada. As cidades de Serrinha, Brumado, Santa Maria da Vitória, Guanambi, Luís Eduardo Magalhães, São Sebastião do Passe, Pojuca, Vera Cruz e Santo Antônio de Jesus também  registraram crescimento do número de homicídios.

Já Simões Filho – cidade mais violenta do país no Mapa da Violência, do Ministério da Justiça, com base em dados de 2011 – teve uma redução de 27% da criminalidade. O número coloca a cidade na 14ª posição na entre os municípios com maior redução nos CVLI no estado. “É uma pesquisa nacional. Nós estamos trabalhando com dados recentes da Bahia, disse o delegado Hélio Jorge.

Salvador
Na capital, a queda de CVLI  foi de 10,3%. A base de dados usada pela SSP é dividida em Áreas Integrada de Segurança Pública (Aisp), que integra as ações das polícias civil e militar em uma mesma região. No primeiro semestre deste ano,  as Aisps que apresentaram os melhores resultados foram  Boca do Rio, CIA e Pau da Lima. A Boca do Rio registrou 40 casos de janeiro a junho de 2012 e 16 este ano. Isso significa uma redução de 60%. As regiões do CIA e Pau da Lima tiveram diminuição de 42,9% e 40,2%, respectivamente.

Apesar da redução geral, em algumas Aisps a criminalidade continua crescendo. É o caso de Pituba, Barra, Brotas, Barris, Periperi e Nordeste de Amaralina.

Os números revelaram ainda que, mesmo com a instalação de uma Base Comunitária e da 40ª Companhia Independente da Policia Militar (CIPM), a região do Nordeste de Amaralina ainda apresenta números elevados de criminalidade. Teve crescimento de 63,6%. “Não é somente uma questão policial, há questões sociais também. É um dos bairros mais populosos da cidade e, apesar do aumento registrado nos últimos seis meses, em dois anos do programa Pacto Pela Vida o número de homicídios na região diminuiu em cerca de 36%” disse Barbosa.

O secretário informou ainda que, até meados de 2014, vão contratar mais 4 mil policiais, 3 mil militares e mil civis, além da aquisição de mais 1.600 viaturas. “Mas eu acredito que é o trabalho do setor de investigação que mais tem contribuído para a redução desses índices, um trabalho que a população geralmente não vê. Temos equipes trabalhando 24h por dia, sete dias na semana para desarticular quadrilhas e prender bandidos” afirmou Mauricio Barbosa, durante entrevista coletiva onde foram apresentados os números da criminalidade no semestre.

Fonte: Correio 24h

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: