Bahiafarma é reaberta em Simões Filho e vai fabricar remédios para SUS

Unidade estava desativada há 12 anos e foi recriada por decreto de 2011.
Investimento foi de R$ 27 milhões; remédio cabergolina será produzido.

Bahiafarma em Simões Filho é reativa após 12 anos fechada (Foto: Carol Garcia/GOVBA)

Desativada há 12 anos, foi reaberta nesta quinta-feira (26), no Centro Industrial de Aratu (CIA Sul), em Simões Filho, a Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma).

A fábrica vai produzir medicamentos de interesse social para o Sistema Único de Saúde (SUS) e recebeu investimento de R$ 27 milhões. Do total, R$ 12 milhões são do governo baiano. Estiveram presentes na cerimônia o governador Jaques Wagner e o ministro da Saúde, Arthur Chior, além do secretário de Saúde da Bahia, Washington Couto.

Bahiafarma em Simões Filho é reativa após 12 anos fechada (Foto: Carol Garcia/GOVBA)De acordo com o governo, o primeiro medicamento que será fabricado é a cabergolina, que hoje é importada da Itália e da Argentina, com capacidade de um milhão de comprimidos por ano, o que deve cobrir a demanda do país.

O remédio é usado por pessoas com distúrbios hormonais e será fornecido pela metade do preço.  A Bahiafarma foi recriada em 2011 por meio de decreto do governador. O projeto vai também ampliar a atuação do estado no campo da farmácia, que abrange pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico, informa o governo.

Outros medicamentos devem ser produzidos após parcerias de desenvolvimento produtivo. São eles o Sevelâmer, para insuficiência renal crônica; o Everolimo e o Micofenolato Sódio, imunossupressores para transplantados; Etanercepte e Adalimumabe, para artrite reumatóide; Trastuzumabe, utilizado no tratamento de câncer de mama; e a vacina alergênica, para imunoterapia para asma.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: