Banco do Brasil suspende financiamento para taxistas

Em Salvador, as opiniões se dividem

Alegando “motivos operacionais”, o Banco do Brasil anunciou ontem a suspensão da linha de crédito especial para os taxistas. Em Salvador, as opiniões se dividem. Enquanto o Sinditáxi, que congrega boa parte dos taxistas da cidade, afirma que a situação “não afeta os taxistas baianos, porque 90% deles são financiados pelo Desenbahia”, José Augusto Santos Filho, sócio da Cooperativa de Táxis Itaigara diz que “esta é mais uma porta fechada para nós, até porque o Banco do Brasil sempre praticou os menores juros, e tememos que o Banco do Nordeste do Brasil, que também nos dá vantagens, siga o mesmo caminho.”

Na verdade, todos os entrevistados pela Tribuna tiveram com conhecimento da medida do BB através do repórter, pois a notícia só foi divulgada na manhã de ontem, em primeira mão, pelo jornalista Ricardo Boechat, da Bandnews FM. Conforme José Augusto Santos, o fechamento desta porta é significativo, porque o Desenbahia, antes, liberava o financiamento em 15 dias, e agora, quando libera, é em 40 dias. Temo que o Banco do Nordeste do Brasil siga o mesmo caminho do Banco do Brasil, até porque o BNB nos dá seis meses de carência, a maior entre eles. A única desvantagem do Banco do Brasil é a exigência de vincular o financiamento ao seguro, que tem que ser feito no banco e sai mais caro.”

Todavia, para o diretor de Comunicação do Sindicato dos Motoristas Autônomos Taxistas de Salvador – Sinditáxi,  Augusto Dias, a medida adotada pelo Banco do Brasil – e que, segundo o BB, deve ser revista “em 30 dias” – não chega a prejudicar os taxistas baianos “porque temos o programa Protáxi, do Desenbahia, que é o mais usado pelos taxistas daqui. Creio que 90% financiam seus veículos por esse programa”. No entanto, ele pondera que não deixa de ser lamentável “qualquer incentivo retirado a categoria.”

PRAZO
Augusto Dias, a despeito de minimizar o efeito da decisão do BB em relação ao taxistas baianos, diz esperar que “realmente essa medida dure apenas 30 dias, como foi anunciado. Do contrário, iremos buscar uma maneira de reaver essa parceria com o Banco do Brasil, que também é importante.”

Augusto explica que as deduções nos preços de veículos zero quilômetro para taxistas em Salvador não são feitas pelo Desenbanhia, mas sim através de isenções. Somos isentos do ICMS e do IPI. Na verdade, o que o banco faz, como, no caso, o Desenbahia, é financiar com juros abaixo daqueles cobrados pelo mercado.” Isso faz com  que o preço de um veículo zero quilômetro para taxista saia em torno de 30% mais barato.

Consultada pela reportagem da Tribuna, a CAB-Associação Única dos Taxistas de Salvador, não se manifestou, A pessoa que nos atendeu alegou ser “complicado” falar sobre o assunto e negou a possibilidade de termos acesso aos diretores da entidade.

Já a Cooperativa de Taxistas do Aeroporto, através do associado Tércio Filho, disse que a medida do Banco do Brasil “em nada nos afeta, porque a maioria absoluta financia através do Desenbahia.” No entanto, ele reconhece que “para aqueles poucos, que não conseguem se enquadrar no perfil do Desenbahia, a situação fica um pouco complicada.”

Quem pode utilizar as vantagens do Fat Taxista?

O FAT Taxista é destinado exclusivamente a pessoas físicas, correntistas do BB, titulares de autorização, permissão ou concessão do Poder Público para exercer, comprovadamente, em veículo de sua propriedade, a atividade de condutor autônomo de passageiros, na categoria táxi.

Novos taxistas também podem pleitear essa linha de crédito, desde que já tenham recebido convocação definitiva do Poder Público para habilitação na atividade de taxista.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: