Biofábrica produz até 9,5 milhões de mudas de cacau para distribuição grátis

A implantação de três estufas, representando investimentos da ordem de R$ 600 mil, prevista no novo contrato que a Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri) celebrará para uso da Biofábrica de Cacau vai aumentar a capacidade instalada de produção de 5 milhões para 9,5 milhões de mudas de cacau mais resistentes a doenças e com alta produtividade, de essências florestais e de fruteiras.

Inicialmente deverão ser produzidas 6 milhões de mudas/ano, das quais pelo menos 4 milhões serão distribuídas gratuitamente com a agricultura familiar, representando aumento superior a 142%, já que para este ano a previsão era de distribuir 1,65 milhão de mudas.

As demais mudas (2 milhões), serão comercializadas com os médios produtores ao custo unitário de R$ 0,70, 59% mais barato que o preço de mercado.

O contrato atual, que expira em setembro próximo, previa a produção de 1,65 milhão de mudas de cacau clonal, cacau seminal, essências florestais e fruteiras, mas em apenas nove meses (até junho) foram produzidas e distribuídas 1.690.517 mudas, ou seja, 40.517 a mais.

A implantação das três estufas vai implicar na redução do custo de produção, permitindo também a redução do custo de venda, que vai cair de R$ 1,70 para R$ 0,70, criando condições para a comercialização de mudas de cacau clonal a preços menores que os do mercado.

Isso vai viabilizar a renovação e diversificação das áreas de plantio, bem como adensamento de áreas produtivas.

A informação foi prestada pelo secretário da Agricultura, Jairo Carneiro, durante comemoração do Dia Internacional do Cacau, realizado na sede regional da Ceplac, em Ilhéus.

Representando o governador Jaques Wagner no evento, o secretário destacou a importância dos investimentos na produção de chocolate, fazendo com que o Sul da Bahia deixe de comercializar apenas amêndoas.

Ele afirmou que “o cacau tem importância significativa na economia baiana e esse é o momento de focar nas novas oportunidades que estão surgindo com a retomada da produção de cacau, a implantação de fábricas de chocolate, o Porto Sul, a Ferrovia Oeste Leste, o novo aeroporto de Ilhéus e a Universidade Federal do Sul da Bahia”.

Jairo Carneiro afirmou ainda que “os esforços do governo da Bahia vão alavancar um novo ciclo de desenvolvimento no Sul do Estado, beneficiando toda a população”.

O secretário conclamou a sociedade organizada a promover uma ampla mobilização em torno desse novo momento, com o apoio do governo, da Ceplac, da Uesc e da Universidade Federal do Sul da Bahia. Ele disse ainda que diante da demanda crescente por chocolates finos, é preciso investir na produção de cacau de qualidade e acelerar a industrialização, ampliando consideravelmente a receita da lavoura.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: