Brasil tem 3 milhões de crianças e adolescentes com hipertensão arterial

Aumenta o número de crianças e adolescentes com hipertensão arterial, a causa,  conforme afirmação de profissionais da saúde, é devido a maus hábitos diários como ingestão de alimentos industrializados com muito  açúcar, gordura  e sódio, e a falta de exercício físico.

A doença se tornou uma grande preocupação da Sociedade Brasileira de Hipertensão porque a estimativa é de que 5% da população com até 18 anos tenham hipertensão, ou seja  3,5 milhões de crianças e adolescentes. E em média  30% da população brasileira é hipertensa, chegando a mais de 50% na terceira idade.

Sobre o alto índice de crianças e adolescentes hipertensos, a  cardiologista Lucélia Magalhães, membro da SBC-BA, avalia: “Atualmente tem crescido o número de crianças e adolescentes com hipertensão, devido à obesidade, sedentarismo e o excesso de comidas industriais “, lamentou.

Segundo a médica, as causas  principais da hipertensão são : o sedentarismo, estresse, obesidade ou gens familiares e a doença é  silenciosa, a maioria não sente os sintomas”, alertou, advertindo aos pais que as crianças e adolescentes hipertensos se não tomarem providências vão levar  a doença  para a idade adulta.

Porém se o caso não for genético e os jovens adotarem uma vida saudável o quadro poderá ser revertido. “Pode baixar se evitar o sedentarismo, praticando esportes ou exercícios, procurar uma alimentação adequada com pouco sal e gordura”, orientou a cardiologista.

Como o infarto do miocárdio pode ter como uma das causas a hipertensão, indagada se pode ocorrer em crianças, a especialista respondeu que “o infarto em criança é raro, pode ocorrer em adolescente que tenha o quadro na família ou quem aquele que tenha contato com cocaína”, ressaltou. Infelizmente, segundo Magalhães, os sintomas da doença só podem ser percebidos nas etapas avançadas da doença: dor de cabeça, insônia, desconforto no tórax, por isto aos pais devem ficar atentos aos filhos  sedentários, que adotam alimentação industrializada e com tendência à obesidade.

 Os alimentos industrializados são  ricos em sódio, açúcar e gordura hidrogenada por isto devem ser evitados por crianças e adolescentes e até mesmo adultos, de acordo com a farmacêutica Natália Dias Ferreira, da Farmácia Sant’Ana. “Na verdade todos  alimentos industrializados têm alto teor de açúcar para agradar o paladar e o sódio para a manutenção.Eles podem causar alteração na corrente sanguínea”, advertiu.

Exemplo  destes alimentos preferidos pelas crianças e jovens são as batatinhas fritas, salgadinhos,  biscoitos, , salsichas, presuntos, sorvetes, achocolatados, sucos nas garrafinhas ou de caixas que os jovens têm livre acesso. A farmacêutica também enfatiza que  a ingestão destes alimentos, aliada à falta de prática de exercícios físicos levam crianças e adolescentes a terem hipertensão arterial.

Com esta alimentação inadequada, os jovens  acabam ingerindo quantidades de minerais e nutrientes muito acima do recomendado. E esta questão da alimentação leva a outro problema que pode interferir no aumento da pressão.

A obesidade infantil  que já atinge mais de um terço da população de crianças e adolescentes no país e os índices continuam aumentando. Diante destes dados, a especialista chama a atenção para o fato de que mesmo as crianças e adolescentes que não tenham predisposição hereditária,  para a doença, mas se alimentam destes produtos: “ Se tiver sobrepeso passa a ter a predisposição”, alertou.

Para Ferreira é fundamental a participação da família para que estes jovens adquiram bons hábitos  “No caso das crianças e adolescentes, os hábitos dos pais influenciam muito nas escolhas dos filhos. A família tem que apoiar e servir de exemplo”, aconselhou.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: