Brasil terá remédio contra hepatice C

Em agosto desse ano, o laboratório AbbVie vai apresentar o medicamento à Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, para que seja regulamentado o uso no Brasil.

O remédio  representa a esperança para cerca de 2,5 milhões de brasileiros infectados pelo vírus da hepatite C.

A novidade foi apresentada ontem, pelo médico e diretor da empresa, José Eduardo das Neves, durante o lançamento da Campanha Nacional contra a doença, que aconteceu em um hotel no Rio Vermelho.

O medicamento que promete trazer alívio para pacientes que sofrem do mal ainda não  tem nome cientifico. É uma combinação de três substâncias o dasabuvir+ ombitasvir+ABT450. Para ser comercializado, o laboratório aguarda autorização   do órgão.

De acordo com Neves, ao longo de dez anos foram feitos seis  estudos clínicos com   2.300 pacientes infectados com o vírus HCV, em diferentes estágios de tratamento da doença, em mais de 25 países. Os estudos realizados comprovaram que após a utilização do remédio, houve eficácia na eliminação do vírus, tanto naqueles que não fazem uso de medicamento, quanto em pacientes cirróticos compensados.

Ainda segundo o especialista, os  resultados de estudos mostram eficácia no tratamento entre 92%e 100% de resposta virologica, entre doze e 24 semanas, além de baixa taxa de efeitos colaterais.

“A  eficácia do tratamento convencional é  entre 20% e 45%, variando conforme o estágio da doença  e o tipo do  de paciente. O tratamento dura cerca de 48 semanas. No estudo, que fizemos  incluindo  pacientes cirróticos,  depois de 12 semanas de tratamento com o regime AbbVie, 92% elimaram o vírus e depois de 24 semanas de  uso ,96% atingiram  a mesma resposta” pontuou Neves.

A hepatite C afeta cerca de 160 milhões de pessoas em todo mundo. É transmitida de pessoa para pessoa, via sangue contaminado. Na Região Nordeste, de 1999 a dezembro de 2011, foi notificados  43.187 casos de hepatite A, o que corresponde a 31,2% do total de casos no Brasil. A Bahia  é o  segundo estado com maior número de casos, com 18,4%, o primeiro é Pernambuco com 22,0%  seguido do Ceará com 13,9% e Maranhão com 13,2% .

A transmissão de hepatite C é pelo contato do sangue com o sangue de uma pessoa contaminada. Cerca de 15% a 20% das pessoas infectadas eliminam o vírus naturalmente; o restante vai desenvolver a doença.  Seu desenvolvimento é lento e, muitas vezes assintomático – pode demorar até cerca de 30 anos para surgirem os sintomas. Quando os sintomas se manifestam, a doença já pode estar em estágio avançado.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: