Calor e umidade facilitam o encravamento dos pelos

Especialista dá dicas de como deixar a pele lisinha e longe da foliculite

As altas temperaturas e a umidade típicas do verão são grandes vilãs para a saúde da pele. No verão, a chamada foliculite, inflamação “poros dos pelos”, torna-se mais frequente, podendo provocar, além de dor no local, um aspecto indesejado na pele, que piora quando há pus. Segundo a dermatologista Anelisa Lamberti, da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia), o problema pode acometer qualquer parte do corpo onde existem pelos, mas aparece principalmente onde há maior atrito.

— A área mais afetada nas mulheres é a virilha e, no homem, o pescoço, por serem locais sensíveis onde o pelo pode nascer e crescer em várias direções, facilitando o encravamento. Para melhorar a inflamação e o incômodo, recomenda-se o uso de pomadas com antibióticos no local.

Além de a exposição ao sol e a umidade favorecem a inflamação dos poros, a especialista ressalta que a depilação é outro fator que pode causar a foliculite.

— A cera quente ou fria, combinada com o uso de roupas apertadas, contribui para o surgimento dos pelos encravados, pois a extração completa do pelo junto com a raiz abre os poros da pele, deixando-os vulneráveis para a entrada de bactérias. No caso dos homens, as lâminas de barbear devem receber também uma atenção especial, pois qualquer machucado ou corte pode permitir a entrada de bactérias que causam inflamações.

A médica recomenda não fazer depilação na véspera da exposição ao sol. Segundo ela, “o ideal é que seja feita com, no mínimo, 48 horas de antecedência”. Anelisa avisa que a utilização de antisséptico seguido de pomada com antibiótico deve ser priorizada em caso de inflamação no local.

— Não reutilizar a lâmina de depilação, pois isso ajuda a evitar infecções no caso de cortes durante a depilação.

Outra dica da especialista é evitar o uso de cremes gordurosos ou loções com álcool após a depilação com cera ou lâmina de depilação, pois deixam os poros abertos e vulneráveis.

— Também é importante não cutucar o pelo encravado porque isso piora a situação e mancha a pele. Além disso, deve-se proteger os pontos de foliculite do sol para evitar possíveis manchas, evitar roupas apertadas e não permanecer com roupas de banho molhadas durante muito tempo.

Anelisa explica que o primeiro estágio do pelo encravado é quando ele está embaixo da pele. O segundo é quando ele fica inflamado, provocando inchaço, vermelhidão e o aparecimento de uma secreção amarelada; e o último é quando ele vira um cisto, deixando a região da pele rígida e dolorida.

Ela reforça que caso o pelo esteja muito profundo, recomenda-se procurar a orientação de um dermatologista para tratamento adequado.

Fonte: R7

 


Compartilhe:

Comentários: