Camarão já está mais caro em feiras livres por causa da Semana Santa

Pela tradição católica, na Sexta-Feira da Paixão não se come carne vermelha, porém, algumas pessoas levam a tradição mais a sério e passam a semana toda apenas comendo peixe, com um cardápio bem variado. Para acompanhar o peixe, caruru, vatapá, feijão fradinho, amendoim, camarão, leite de coco, quiabo e azeite, não podem faltar dentro de mais alguns dias, quando da Semana Santa.

Com a aproximação e para economizar um pouquinho mais, comprando com preços mais acessíveis, muitas pessoas começam a se preocupar com os mantimentos e já estão estocando os principais da ceia tão esperada.

“Esta é uma época em que as famílias se reúnem para o almoço. Já estou antecipando a compra de feijão fradinho, azeite, amendoim dentre outros. Só o peixe, quiabo e o camarão que vou comprar na véspera para não perder. Notei que quiabo está barato, mas em compensação, o camarão seco chega a custar R$ 35 o quilo”, disse Ana Angélica Batista Santana.

Ela estava fazendo compras na tradicional Feira São Joaquim, localizada na cidade baixa, aonde os preços dos itens chamavam atenção dos fregueses. Na barraca de José Carlos Vieira, comerciante há 15 anos, a procura principal é pelo camarão seco que varia de R$ 13 a 30 o quilo. “Dependendo do tamanho do camarão, o preço vai aumentando. Com relação ao ano passado, ele está um pouco mais caro. A gente percebe que as vendas da ceia da Semana Santa já começam a aumentar. Muitas pessoas preferem antecipar as compras de alguns utensílios para evitar correria na véspera”, enfatizou.

Por toda a extensão da feira, o nutritivo quiabo era vendido com preços promocionais, sendo 50 por R$ 2.00. Na banca do comerciante José Ferreira, o quiabo era o item mais vendido. Ele disse que as vendas ainda estão um pouco devagar. “Acho que é na semana mesmo que as pessoas param tudo para comprar os ingredientes da Semana Santa”, disse.

Pela feira das Sete Portas, uma das mais procuradas de Salvador, o movimento também era razoável. O peixe vendido a partir de R$ 13.00 o quilo, ainda estava sem muito chamar atenção. A dona de casa Neide Fontana fazia compras de alguns mantimentos para compor o almoço da Semana Santa, mas ressaltou que o peixe e o camarão só comprarão na véspera do almoço.

 “Não tenho muito espaço para guardar na geladeira e, também para evitar estragar, prefiro comprar fresquinho na Semana Santa. Nunca deixei de comer o meu peixe, camarão, quiabo e claro, com o azeite de dendê”, enfatizou.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: