Campanha para detecção de hepatite C é realizada em Santos

Público alvo são os trabalhadores portuários da cidade.
Campanha do Ogmo com o Grupo Esperança é realizada há cinco anos.

Portuários participam de ação para detecção e prevenção da hepatite C (Foto: Reprodução/TV Tribuna)Os trabalhadores portuários de Santos, no litoral de São Paulo, podem participar da campanha de detecção, prevenção e orientação contra a hepatite C que acontece até o dia 19 de abril na cidade. Também serão atendidos pela campanha familiares dos, maiores de 12 anos, dos trabalhadores. Os exames são gratuitos.

Durante esse período, os trabalhadores portuários avulsos (TPAs) passarão pelo exame que detecta a doença. Após a testagem rápida de triagem realizada no Orgão Gestor de Mão de Obra (OGMO), os trabalhadores que tiveram contato com o vírus serão encaminhados para confirmação do diagnóstico e, caso necessário, tratamento no ambulatório especializado da Beneficência. Não é necessário estar em jejum para fazer o exame.

Segundo o presidente do “Grupo Esperança”, Jeová Pessin Fragoso, que realiza os testes, em cinco anos de campanha o índice de trabalhadores diagnosticados no teste de triagem caiu 7,2%, número registrado em 2008, para menos de 2% na campanha do ano passado. Para Jeová, a campanha de prevenção teve uma grande influência nessa queda, pois durante os atendimentos os portuários obtêm informações sobre formas de prevenção da doença.

A campanha promovida pelo OGMO, em parceria com o Grupo Esperança, acontece há cinco anos. O atendimento é realizado de segunda a sexta- feira, das 11h às 19h, no Posto de Escalação 3, na Avenida Mário Covas, s/nº, esquina com canal 6, no bairro Ponta da Praia.

Hepatite C
Inflamação no fígado causada por vírus, a Hepatite C é considerada a mais grave entre os demais tipos da doença. A enfermidade pode se tornar crônica e, em alguns casos, leva ao desenvolvimento de cirrose hepática, câncer do fígado e até mesmo à morte. A Hepatite C é transmitida através de sangue contaminado por meio do compartilhamento de agulhas, seringas, lâminas de barbear e alicates de unha. A transmissão por relação sexual também é possível.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: