Candidatos a concurso da PF reclamam de inscrições canceladas

Cespe/UnB teria enviado e-mails alegando falta de pagamento da taxa.
Concurso foi cancelado e depois retomado; prova será no dia 21.

Candidatos que se inscreveram em outubro no concurso da Polícia Federal para 600 vagas de agente antes de a seleção ser cancelada por meio de medida judicial estão reclamando que tiveram a inscrição cancelada pela organizadora do concurso, o Cespe/UnB. A instituição teria enviado e-mails para os candidatos comunicando o cancelamento da inscrição e exigindo o comprovante de pagamento. O G1recebeu reclamações de leitores que alegaram que efetuaram o pagamento da taxa de inscrição, no valor de R$ 150, antes da suspensão do concurso, no dia 27 de outubro. No site do Reclame Aqui há dezenas de reclamações referentes ao mesmo tema.

O Ministério Público Federal pediu adaptação do exame de aptidão física e do curso de formação profissional a candidatos com deficiência. Recurso da União no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região derrubou a decisão da Justiça que havia acolhido o pedido do MPF. Com a retomada do concurso no dia 21 de novembro, a prova foi remarcada para o dia 21 de dezembro, no turno da tarde.

O Cespe/UnB informou ao G1 que “os candidatos ao concurso do Departamento de Polícia Federal (DPF) que estiverem na situação descrita devem, primeiramente, averiguar se o pagamento de sua taxa de inscrição no certame foi efetivamente realizado junto ao seu banco e, após esse procedimento, entrar em contato com a Central de Atendimento ao Candidato do Centro, por meio do telefone (61) 3448-0100 ou do e-mail sac@cespe.unb.br.”

O Cespe/UnB informa ainda que o candidato tem esta segunda (8) e terça-feira (9) para alterar a opção de concorrer às vagas reservadas aos negros, no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/dpf_14_agente. Após esse período, não serão aceitos pedidos de revisão.

Concurso
O concurso oferece 600 vagas de agente de Polícia Federal. O salário é de R$ 7.514,33. Do total das oportunidades, 30 são reservadas para pessoas com deficiência e 120 para negros.
As atribuições do cargo são executar investigações e operações policiais na prevenção e na repressão a ilícitos penais, dirigir veículos policiais, cumprir medidas de segurança orgânica, desempenhar outras atividades de natureza policial e administrativa, bem como executar outras tarefas que lhe forem atribuídas.

Serão disponibilizadas vagas, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima e em unidades de fronteira. A jornada de trabalho será de 40 horas semanais.

Os candidatos devem ter diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso superior em nível de graduação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação. Também é necessário ter carteira de habilitação, no mínimo, na categoria B.

A primeira etapa do concurso engloba prova objetiva, prova discursiva, exame de aptidão física, exame média e avaliação psicológica. Já a segunda etapa será o curso de formação profissional.

O concurso terá validade de 30 dias, prorrogáveis uma única vez por igual período, contados a partir da data de publicação da portaria de homologação do resultado final do curso de formação profissional.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: